Adultos_Crianças


A doença típica dos adultos_crianças, nascidas em famílias disfunçionais ou anômalas.




Nessas famílias as verdadeiras necessidades das crianças são negligenciadas, a única função predominante :
agradar os pais é essencial para ser aceito. So que este comportamento de querer sempre agradar os outros terá como resultado a perda de qualquer noção sobre limites cabíveis á nossa habilidade de agradar aos outros.
Somente a redução de certos limites e a negação de outros limites é que conseguirá enfraquecer aquela preocupação exagerada com o EGO, que é uma angústia disfuncional ou anômala própria da co-dependência.
A co-dependência, é portanto, o abandono crônico do ego, resultante da necessidade de agradar aos outros.
Dentro de uma família sadia, o ego do individuo tem a possibilidade de escolher entre diversas máscaras ou funções, todas adequadas no campo da auto-defesa. Pelo contrário em família disfuncional ou anômala, estão sempre presentes rígidas expectativas de que a criança desempenhe determinado papel.
Então a criança que tiver sofrido o descaso ou algum abuso quando as espectativa dos pais não foram satisfeitas, desenvolve-rá dentro de si um EGO que o tornará cada vez mais rígida a sua função de sobreviver.
Neste caso, o ego não estará aprendendo a discriminar e discenir, mas a depender sempre das expectativas dos outros em cada nova situação.
Agora, ou os adultos-crianças continuam sempre em busca daqueles pais responsáveis que nunca vivenciaram ou, então, se transformarão em pseudopais, preocupando-se mais de maneira compulsória, com as necessidades dos outros.
Enquanto a recuperação não se iniciar, a criança grande escondida no íntimo do adulto-criança ficará constantemente decepcionada com esta sempre verificando se conseguiu atender as necessidades existentes fora dela própria.
" A co-dependência, como todos os comportamentos artificiais, é o mesmo que pretender engaiolar esquilos!"
" Toda vez que a criança houver sido abusada, ou abandonada de si mesma em qualquer dessas áreas, o desenvolvimento do seu bem-estar estará sendo prejudicado e contrariado."
Toda família que possui crianças tem a responsabilidade de dar atendimento ás necessidades emocionais delas. E não exitem desculpas para recusar atender ás necessidades emocionais da criança.
Aceitação, estima, aprovação, apoio e afeição são necessidades básicas que toda criança tem o direito de esperar receber dos que cuidam delas.
******
Este texto foi retirado do livro que estou lendo: A criança que ainda esta em você/ Peggy McGurn.

Nenhum comentário

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?