Adultos_Crianças


A doença típica dos adultos_crianças, nascidas em famílias disfunçionais ou anômalas.




Nessas famílias as verdadeiras necessidades das crianças são negligenciadas, a única função predominante :
agradar os pais é essencial para ser aceito. So que este comportamento de querer sempre agradar os outros terá como resultado a perda de qualquer noção sobre limites cabíveis á nossa habilidade de agradar aos outros.
Somente a redução de certos limites e a negação de outros limites é que conseguirá enfraquecer aquela preocupação exagerada com o EGO, que é uma angústia disfuncional ou anômala própria da co-dependência.
A co-dependência, é portanto, o abandono crônico do ego, resultante da necessidade de agradar aos outros.
Dentro de uma família sadia, o ego do individuo tem a possibilidade de escolher entre diversas máscaras ou funções, todas adequadas no campo da auto-defesa. Pelo contrário em família disfuncional ou anômala, estão sempre presentes rígidas expectativas de que a criança desempenhe determinado papel.
Então a criança que tiver sofrido o descaso ou algum abuso quando as espectativa dos pais não foram satisfeitas, desenvolve-rá dentro de si um EGO que o tornará cada vez mais rígida a sua função de sobreviver.
Neste caso, o ego não estará aprendendo a discriminar e discenir, mas a depender sempre das expectativas dos outros em cada nova situação.
Agora, ou os adultos-crianças continuam sempre em busca daqueles pais responsáveis que nunca vivenciaram ou, então, se transformarão em pseudopais, preocupando-se mais de maneira compulsória, com as necessidades dos outros.
Enquanto a recuperação não se iniciar, a criança grande escondida no íntimo do adulto-criança ficará constantemente decepcionada com esta sempre verificando se conseguiu atender as necessidades existentes fora dela própria.
" A co-dependência, como todos os comportamentos artificiais, é o mesmo que pretender engaiolar esquilos!"
" Toda vez que a criança houver sido abusada, ou abandonada de si mesma em qualquer dessas áreas, o desenvolvimento do seu bem-estar estará sendo prejudicado e contrariado."
Toda família que possui crianças tem a responsabilidade de dar atendimento ás necessidades emocionais delas. E não exitem desculpas para recusar atender ás necessidades emocionais da criança.
Aceitação, estima, aprovação, apoio e afeição são necessidades básicas que toda criança tem o direito de esperar receber dos que cuidam delas.
******
Este texto foi retirado do livro que estou lendo: A criança que ainda esta em você/ Peggy McGurn.

Verbo Ser


Que vai ser quando crescer?


Vivem perguntando em redor. Que é ser?


É ter um corpo, um jeito, um nome?


Tenho os três. E sou?


Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome, corpo e jeito?


Ou a gente só principia a ser quando cresce?


É terrível, ser? Dói? É bom? É triste?


Ser; pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas?


Repito: Ser, Ser, Ser. Er. R.


Que vou ser quando crescer?


Sou obrigado a? Posso escolher?


Não dá para entender. Não vou ser.


Vou crescer assim mesmo.


Sem ser Esquecer.


Carlos Drummond de Andrade


Zilda Arns, 75, participava de missão humanitária e está entre as vítimas do terremoto de 7 graus que assolou o Haiti. Médica pediatra e sanitarista, Zilda Arns era fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa, órgão de Ação Social da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e foi indicada por três vezes ao Prêmio Nobel da Paz



No site, Pastoral da Criança lamenta morte de fundadora:



São Paulo - O site da Pastoral da Criança publicou às 12h20 uma nota de pesar pela morte de sua fundadora, a médica Zilda Arns, no terremoto ocorrido ontem no Haiti. Segundo o Ivo Rodrigues, do departamento de comunicação da instituição, sediada em Curitiba, os funcionários e colaboradores estão profundamente chocados com o ocorrido. "Não dá para acreditar. Fomos pegos de surpresa", lamenta.


Zilda vivia há mais de cinco décadas na capital paranaense, que decretou nesta manhã luto oficial de três dias. A Pastoral foi fundada em 1982 na cidade.
A nota da organização é assinada pela Coordenação Nacional da Pastoral da Criança e além de informar o falecimento relata que ela estava missão humanitária no Haiti, para participar da Conferência dos Religiosos e também para motivar os líderes e voluntários da pastoral no país que trabalham com crianças, gestantes e famílias.



Inspirador da ação humanitária conduzida pela irmã desde 1982, o arcebispo emérito de São Paulo dom Paulo Evaristo Arns afirmou nesta quarta-feira (13) que a coordenadora e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, vítima do terremoto que abalou o Haiti, "morreu de uma maneira muito bonita, na causa em que sempre acreditou".



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou "absolutamente chocado" com a morte de Zilda, de acordo com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. "Ele (Lula) lamentou muito. Zilda é uma pessoa de grande projeção no país", disse o chanceler, que se reuniu com o presidente e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, para definir medidas para socorrer brasileiros no Haiti.



O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou que a morte da coordenadora nacional da Pastoral da Criança, Zilda Arns, foi uma das perdas "mais expressivas" do país. "Ela era um exemplo extraordinário de dedicação às crianças, aos pobres e às causas sociais. Era uma referência", afirmou.





Segundo Temer, Zilda Arns tornou-se "sinônimo de doação, em sua luta pelos mais carentes, no combate diuturno à mortalidade infantil e na busca pela melhoria da vida do povo". O presidente da Câmara diz ainda, na nota, que o amor da médica brasileira ao próximo "não tinha fronteiras" e que "o Brasil lamenta essa perda irreparável".



O corpo de Zilda será trazido do Haiti em avião da Força Aérea Brasileira (FAB). O velório e enterro serão em Curitiba, onde moram os quatro filhos da médica.



***************

Desafio para o Brasil:



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem uma grande oportunidade no desafio à sua frente de ajudar o Haiti. A pretensão do Brasil de se tornar uma potência na diplomacia internacional pode agora ser colocada em prática. O governo brasileiro tem meios de ser muito útil no trabalho humanitário e de reconstrução do país caribenho.



Carpe Diem

"O homem inclinado para a frente na sua motorizada só pode concentrar-se no segundo presente do seu voo".





O primeiro ideograma é “número um, o primeiro, o único”. O segundo é “nascer, viver”. O terceiro é “pendurar o pescoço de cabeça para baixo” e o quarto é “vida, de vida ou morte.


Carpe diem é uma expressão latina das primeiras palavras de um verso do poeta romano Horácio, em Odes, Livro I. 11,8. Este verso é completado por nec minimum crédula postero: (Confie o menos possível no dia de amanhã).


Uma advertência, dirigida de tempos em tempos, sobretudo nos de crise da esperança e do futuro.

Atualmente, a expressão Carpe diem, usada em carros e adesivos colocados em lugares públicos, resume a mentalidade dos aproveitadores, dos que só acreditam nesta vida e não vêem perspectiva de vida futura com dignidade e soberania.

O “aproveite, curta, desfrute... confie o menos possível no dia de amanhã” significa olhar a realidade pessoal e social perdendo todos os horizontes da vida, significa não ter ideais para lutar, não ter gosto pelo trabalho, significa não acreditar em si mesmo, não esperar o momento seguinte na dinâmica de vivê-lo melhor, significa colocar todas as esperanças no ar do momentâneo, do fazer por fazer.

Infelizmente, os resultados dessa ideologia têm causado graves danos pessoais, dores, sofrimentos e a perda do gosto de viver. O ser humano precisa aprender a superar as crises, enfrentar os obstáculos, refazer a esperança de um futuro que não depende de nós. A paz interior, a felicidade que tanto buscamos, nasce de um coração que teme a Deus e coloca Nele a sua esperança. Superar as crises, de maneira especial a crise do sentido da vida, significa começar acreditando em si mesmo, no outro e no totalmente Outro.

Jesus resume toda a lei no amor a Deus e ao próximo como a nós mesmos. Por isso quem não ama não vive, porque o amor vem de Deus e o nosso Deus é o Deus dos vivos e não dos mortos. Mortos porque não descobriram a capacidade de amar e ser amados. ( Lc: 20,38).
Portanto,Carpe Diem indica que devemos aproveitar cada momento do dia, sem nos afligirmos por desejos e ambições desmedidos que podem não se realizar, ou se realizados, podem nos trazer uma infelicidade maior. “Se queres viver nas alegrias da consciência tranqüila, auxilia ao próximo quanto puderes, trabalha sempre e confia em Deus.” disse Emmanuel Singelamente, sem alarde, ele enumerou as regras básicas da felicidade:

1. Consciência tranqüila


2. Amor ao próximo.


3. Amor a nos mesmos através da atividade digna.


4. Confiança em Deus, que sabe do que precisamos, e nos provê de acordo com nossa necessidade ou merecimento.

Então, o recado desta mensagem é: aceite e viva cada momento de hoje de forma tal que amanhã, ao recordar-lhe os momentos, você apenas se alegre com tudo o que lhe ocorreu e se orgulhe das boas atitudes que teve.

A Lentidão(Milan Kundera) :


Resumo do livro:

O homem inclinado para a frente na sua motorizada só pode concentrar-se no segundo presente do seu voo; agarra-se a um fragmento do tempo cortado tanto do passado como do futuro; é arrancado á continuidade do tempo; está fora do tempo; por outras palavras, está num estado de êxtase; nesse estado, nada sabe da sua idade, nada da mulher, nada dos filhos, nada das suas preocupações e, portanto, não tem medo, porque a fonte de medo está no futuro, e quem se liberta do futuro nada tem a temer. A velocidade é a forma de êxtase com que a revolução técnica presenteou o homem. Ao contrario do motociclista, quem corre a pé continua presente no seu corpo, obrigado ininterruptamente a pensar nas suas bolhas, no seu ofegar; quando corre sente o seu peso, a sua idade, mais consciente do que nunca de si proprio e do tempo da sua vida. Tudo muda quando um homem delega a faculdade da velocidade a uma maquina: a partir de então, o seu proprio corpo sai do jogo e ele entrega-se a uma velocidade que é incorpórea, imaterial, velocidade pura, velocidade em si mesma, velocidade êxtase. Curiosa aliança: a fria impessoalidade da técnica e as chamas do êxtase. O culto do orgasmo: o utilitarismo puritano projectado na vida sexual; a eficácia contra a ociosidade; a redução do coito a um obstáculo que se deve ultrapassar o mais depressa possivel para se chegar a uma explosão extática, único verdadeiro alvo do amor e do universo. Porque terá desaparecido o prazer da lentidão? Ah, onde estão os deambuladores de outrora? Onde estão esses heróis indolentes das canções populares. esses vagabundos que preguiçam de moinho em moinho e dormem ao relento? Terão desaparecido com os caminhos campestres, com os prados e as clareiras, com a natureza? Há um provérbio checo que descreve a sua ociosidade por meio de uma metáfora: comtemplam as janelas de Deus. Quem comtempla as janelas de Deus nao se aborrece; é feliz.


A criança em seu mundo

Café Filosófico - A criança em seu mundo - Mário Sérgio Cortella



Caso não visualize o vídeo clic aqui:
http://video.google.com.br/videoplay?docid=3481854857401771749&hl=pt-BR#

De acordo com o educador Mário Sérgio Cortella, nós estamos sacando o futuro por antecipação. Significa que nós estamos gastando os Meios que permitiriam uma Existência de gerações próximas. Segundo sua análise, nós anunciamos às crianças:? Não haverá futuro, não haverá meio ambiente, não haverá segurança, não haverá trabalho. Vocês presente não tem!? A criança tem o mundo da imaginação, da poesia, da fábula, da infância, e muitas vezes, os adultos não conseguem entrar nesse mundo. Mas, segundo o próprio educador, é preciso Criar relações mais próximas com as crianças e saber Quais são as suas Necessidades e desejos para que possamos formar Cidadãos Conscientes e atuantes. O programa traz ainda a participação da atriz Maria Luisa Mendonça que interpreta o poema "Verbo Ser", de Carlos Drummond de Andrade e texto de Carl Jung. O programa Café Filosófico é uma produção da TV Cultura em parceria com a Energia da CPFL.

Mário Sérgio Cortella é professor de Filosofia na PUC / SP e já foi Secretário Municipal de Educação de São Paulo.
Seu currículo pode ser acessado na Plataforma Lattes Através do endereço: http://lates.cnpg.br/9036228618382563




Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?