Os animais são capazes de sentir prazer, dor e sofrimento. Quando pessoas interagem com animais, temos a responsabilidade e em geral o dever legal de zelar pelo seu bem-estar.
Essas mensagens são a essência do objetivo educacional da WSPA – estimular a compaixão, o senso de justiça e o respeito pelos animais e pelas pessoas. O bem-estar animal é também fundamental para as pessoas e o meio-ambiente.
Com alguns conhecimentos básicos e a compreensão dos princípios fundamentais de bem-estar animal, as pessoas poderão entender e vir a apreciar o papel que todos podemos exercer para melhorar a vida dos animais em todo o mundo.

Educação para mudanças positivas

Educação humanitária em ação
© WSPA

Os programas educacionais de bem-estar animal da WSPA são voltados para o ensino vocacional, fundamental, médio e superior.
A equipe de Educação da WSPA também apóia e assiste afiliadas em todo o mundo no desenvolvimento de iniciativas educacionais.

Nossos programas

Os programas educacionais de bem-estar animal da WSPA estão funcionando na América do Sul, América Central, África e Ásia e concentram-se em três áreas:

1. Educação Internacional em Bem-Estar Animal (IN AWE)
Esse programa educacional para animais, pessoas e meio-ambiente é voltado para crianças e adolescentes com idades entre 5 e 16 anos. Visa incorporar a educação de bem-estar animal aos currículos escolares, trabalhando em conjunto com governos, organizando workshops para treinamento de professores e fornecendo materiais.
Através da educação para o tratamento humanitário dos animais, as crianças podem se tornar mais solidárias e adquirir uma atitude mais responsável como futuros cidadãos.
Os programas IN AWE estão atualmente em atividade na Costa Rica, no Chile, no Perú, no Quênia e na Tailândia.
Saiba mais baixando o folder Educação em Bem-Estar Animal (PDF 450KB).

2. Conceitos de Bem-Estar Animal (CAW) e treinamento vocacional
O conteúdo do programa Conceitos de Bem-Estar Animal (CAW) da WSPA foi desenvolvido para facilitar o ensino de bem-estar animal nas faculdades veterinárias do mundo todo. Os veterinários têm papel fundamental na melhoria do bem-estar animal através de suas próprias ações e pela influência que exercem sobre outras pessoas.
Desenvolvido com a Escola de Ciência Veterinária Clínica da Universidade de Bristol (School of Clinical Veterinary Science) em 2003, o conteúdo progamático do CD-ROM foi revisado em 2007 e enviado a mais de 850 universidades espalhadas pelo mundo. Mais de 400 palestrantes estão envolvidos em oficinas e conferências de bem-estar animal organizadas pela WSPA.

Cliqueaquipara baixar mais informações sobre CAW (PDF document 282.48 KB).

A WSPA também apóia o treinamento vocacional agrícola no Quênia que integra uma perspectiva de bem-estar animal.

3. Envolvimento com Comunidades e Desenvolvimento Profissional Contínuo
A equipe de educação da WSPA colabora com outros Programas da WSPA e apóia as iniciativas educacionais das afiliadas fornecendo aconselhamento, informação, conhecimentos específicos em educação e financiamento.
Para mais informações sobre os programas educacionais da WSPA, escreva para wspabrasil@wspabr.org.


Muito freqüentemente, animais são mantidos como companhia doméstica. Mas enquanto alguns donos tomam conta de seus animais, muitos outros animais de estimação sofrem com maus-tratos, negligência ou mesmo abandono.
A WSPA está trabalhando para promover a guarda responsável de animais de estimação em todo o mundo. Isso inclui programas em países em desenvolvimento, onde o acesso à informação sobre bem-estar animal e cuidados veterinários pode ser escasso ou indisponível.
Cuidar dos animais de forma responsável é igualmente relevante para donos de animais de estimação nos países ricos, onde os animais podem sofrer se seus donos não tiverem consciência de suas necessidades.

O cuidado com os animais começa em casa

Em alguns países existe acesso a boa assistência veterinária. Mas a melhor forma de manter os animais de estimação saudáveis é satisfazermos, nós mesmos, suas necessidades de bem-estar.
Os grupos de bem-estar animal usam a lista abaixo para avaliar se um animal está feliz e saudável e você também pode fazer isso. Todas as cinco liberdades precisam ser atendidas. Um animal bem-alimentado, por exemplo, pode vir a sofrer se estiver muito frio.
Seu animal de estimação deve estar:
  • Livre de fome e sede
  • Livre de desconforto
  • Livre de dor, ferimento e doença
  • Livre de medo e angústia.
  • Livre para expressar seu comportamento natural
Esse último item significa que devemos entender as necessidades comportamentais de nossos animais de estimação e dar a eles a oportunidade de expressá-las. Por exemplo, em vez de tentar impedir que um gato arranhe portas, dê a ele um poste próprio para esse fim.
Para mais informações e conselhos, baixe os arquivos com os panfletos da WSPA sobre cuidados com cachorros (PDF 252KB) e cuidados com gatos (PDF 297KB). E se você é fluente em inglês, visite ainda o website da RSPCA, que oferece aconselhamento sobre cuidados de uma grande variedade de animais domésticos.

Cuidar de animais é responsabilidade de todos

Tendo ou não um animal de estimação, existem atitudes diárias que você pode tomar para garantir o bem-estar deles:
  • Denuncie maus-tratos contra os animais
    Aprenda a reconhecer sinais de abuso ou negligência. No Brasil, denuncie junto aos órgãos competentes, de acordo com as orientações deste documento. No Reino Unido, denuncie qualquer abuso imediatamente junto à filial local da RSPCA.
  • Ajude a reduzir a superpopulação animal
    Existem milhões de cães e gatos indesejados nas ruas de todo o mundo. Esterilize seu animal e, se possível, coloque um micro chip nele. Adote seu próximo animal de companhia de um abrigo local. Para mais informações sobre adoção de animais, entre com contato com as afiliadas da WSPA no Brasil.
  • Apóie o reconhecimento internacional da importância do bem-estar animal
    Adicione seu nome ao abaixo-assinado mundial pela Declaração Universal de Bem-estar Animal (DUBEA). Celebridades já aderiram. Essa legislação daria aos animais em todo o mundo os mesmos níveis básicos de proteção. Saiba mais.
Por reconhecer que a crueldade pode vir da ignorância, a WSPA trabalha para melhorar o bem-estar dos animais através da educação. Ajude-nos a continuar a educar os donos de animais e a conduzir outros trabalhos vitais para o bem-estar animal.

***

Cientistas exigem objetivos vinculantes para proteger biodiversidade


viernes, 15 de octubre de 2010



15 de octubre de 2010, 13:14Berlim, 14 out (Prensa Latina) Objetivos vinculantes para proteger a biodiversidade reclamam cientistas de oito países na cidade alemã de Jena antes que comece na próxima segunda-feira uma conferência sobre o tema em Nagoya, Japão.



Os especialistas reclamam a necessidade desses objetivos para atingir um maior bem-estar humano.



A diversidade biológica é essencial na regulação do clima, é motivo de prazer estético, distração, além de ser fonte da água e alimentos.



O ecologista alemão Wolfgang Weisser alerta que 60 por cento dos serviços de ecossistemas é destruído, por isso seria muito sensato associar a biodiversidade com a preservação desses serviços de ecossistemas.



Os objetivos para 2020 dirigidos a preservar a diversidade biológica devem estar ordenados por prioridade e sua execução ser efetiva, exigiram os especialistas em um artigo que também difunde a revista Science.



Durante as duas semanas de duração da Conferência sobre Biodiversidade da ONU serão tratadas as estratégias para a preservação de espécies, bem como repartir de forma equitativa os ganhos que se obtêm dos recursos biológicos.



mgt/mor/es

Nobel Alternativo

O prémio sueco "Nobel alternativo", que visa recompensar iniciativas visando melhorar a qualidade de vida, foi atribuído hoje em Estocolmo a médicos israelitas bem como a um ecologista nigeriano, a outro brasileiro e a humanitários nepaleses.




O "Rigth Livelihodd Prize 2010 " recompensa o poder da mudança proveniente da base" e este ano distinguiu "quatro laureados que partilharão entre si os 200 mil euros do prémio", declarou o júri num comunicado.



Direitos Humanos e ambiente premiados





A organização israelita "Médicos para os direitos humanos - Israel" recebeu o prémio "pelo seu espírito indomável de trabalho a favor do direito à saúde para todos em Israel e na Palestina".



O nigeriano Nnimmo Bassey, de 52 anos, recebeu a recompensa por "ter revelado em toda a sua extensão os horrores ecológicos e humanos da produção de petróleo".



O júri sublinhou também "o trabalho inspirado (de Bassey) para reforçar o movimento ecologista na Nigéria e no mundo".



O bispo brasileiro Erwin Krautler, de 71 anos, é recompensado "pelo trabalho de uma vida a favor dos Direitos Humanos e dos direitos ambientais das populações indígenas, bem como pelos esforços para salvar a floresta amazónica da destruição".



Segundo o comunicado, o prémio saúda ainda o nepalês Shrikrishna Upadhyay, de 65 anos, e a organização deste, Sappros, por "ter demonstrado durante vários anos o poder da mobilização face às múltiplas causas da pobreza, incluindo sob a ameaça de violência política e de instabilidade".



Mudança está na base





"A verdadeira mudança começa na base: médicos que não esperam pelos políticos para agir para pôr fim aos sofrimentos inúteis no Médio Oriente, aldeãos que saem por si da pobreza, movimentos ecologistas que reúnem vítimas e desastres ecológicos", sublinhou o fundador do prémio e presidente do júri, Jakob von Eexkull, no comunicado.



Antigo filatelista germano-sueco, Uexkull fundou em 1980 o Right Livelihood Prize para anualmente "honrar e apoiar aqueles que oferecem respostas práticas e exemplares aos desafios mais urgentes".



A cerimónia de entrega dos prémios ocorrerá a 6 de dezembro no parlamento sueco.


                   Mais sobre Manoel Bandeira





Belo belo belo,

Tenho tudo quanto quero.



Tenho o fogo de constelações extintas há milênios.

E o risco brevíssimo — que foi? passou — de tantas

[ estrelas cadentes.



A aurora apaga-se,

E eu guardo as mais puras lágrimas da aurora.



O dia vem, e dia adentro

Continuo a possuir o segredo grande da noite.



Belo belo belo,

Tenho tudo quanto quero.



Não quero o êxtase nem os tormentos.

Não quero o que a terra só dá com trabalho.



As dádivas dos anjos são inaproveitáveis:

Os anjos não compreendem os homens.



Não quero amar,

Não quero ser amado.

Não quero combater,

Não quero ser soldado.



— Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples.

Manoel Bandeira.

A arte de ser feliz

***


"Nasci aqui mesmo no Rio de Janeiro, três meses depois da morte de meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais, mas, ao mesmo tempo, me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a Morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno."



A arte de ser feliz


HOUVE um tempo em que a minha janela se abria para um chalé. Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça azul. Nesse ovo costumava pousar um pombo branco. Ora, nos


dias límpidos, quando o céu ficava da mesma cor do ovo de louça, o pombo parecia pousado no ar. Eu era criança, achava essa ilusão maravilhosa e sentia-me completamente feliz.






HOUVE um tempo em que a minha janela dava para um canal. No canal oscilava um barco. Um barco carregado de flores. Para onde iam aquelas flores? Quem as comprava? Em que jarra, em que sala, diante de quem brilhariam, na sua breve existência? E que mãos as tinham criado? E que pessoas iam sorrir de alegria ao recebê-las? Eu não era mais criança, porém a minha alma ficava completamente feliz.






HOUVE um tempo em que minha janela se abria para um terreiro, onde uma vasta mangueira alargava sua copa redonda. À sombra da árvore, numa esteira, passava quase todo o dia sentada uma mulher, cercada de crianças. E contava histórias. Eu não podia ouvir, da altura da janela; e mesmo que a ouvisse, não a entenderia, porque isso foi muito longe, num idioma difícil. Mas as crianças tinham tal expressão no rosto, a às vezes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, imaginava os assuntos e suas peripécias e me sentia completamente feliz.






HOUVE um tempo em que a minha janela se abria sobre uma cidade que parecia feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim seco. Era uma época de estiagem, de terra


esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre homem com um balde e em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma regra: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.






MAS, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas e


outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.






Cecília Meireles.















Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?