“[ Cristo ], é também nele que vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da nossa salvação. Tendo nele crido, fostes celado com o espírito santo da promessa” (Efésios1:13).


Quão maravilhosa é a comparação do recebimento do Espírito Santo com o estar selado. É dessa maneira que alcançamos a segurança da nossa salvação. Consideremos por um momento o sentido simbólico da metáfora do selo.

Primeiro, selar significa fechar alguma coisa, impedindo que pessoas desautorizadas abram. Em outras palavras, se alguma coisa está selada, ninguém pode tocá-la sem permissão. Quando pilatos selou a pedra que fechava a sepultura de Jesus, a remoção dela sem a permissão de Pilatos seria punida com morte. Assim, se somos selados pelo sangue de Jesus, Deus nos livra de cair em pecado pelo poder do Espírito Santo.

Portanto, nós crentes _ selados por ele e descansando em seu poder _ deveríamos santificar nossas mentes e vidas, afim de derrotar o pecado e o diabo.


Segundo, o selo é sinal de garantia de propriedade, algo que experimentamos diariamente. Pensemos desta maneira: ninguém pode retirar meu dinheiro sem meu selo ou assinatura. Se eu marcar minhas posses com meu selo, todos saberão que aqueles valores pertencem a mim. Quem tentar retirar o selo e se apossar do que ali está, viola meus direitos de proprietário, e incorre em sérias conseqüências.
Do mesmo modo, Deus prova que seu povo é propriedade sua, selando-o com o espírito santo. Qualquer pessoa que ousar injuriar alguém ungido por Deus, viola a lei de propriedade de Deus e faz com que a ira do Senhor recaia sobre si mesma. Quando os que são selados pelo Espírito se humilham, obedecem a vontade de Deus e vivem para sua glória, o Senhor do céu e da terra será para eles amparo e proteção.

Terceiro, selar significa autoridade. Aqui na Coréia todos devem ter um certificado de residência. Se o certificado não for timbrado com um selo oficial, não tem validade: perde a autoridade.

Os crentes, sendo filhos de Deus, têm autoridade. Enquanto os discípulos estavam com Jesus, fizeram muitos sinais e maravilhas, agindo com autoridade e poder. Mas depois que Jesus foi levado ao céu sentiram-se derrotados, e miseravelmente incompetentes _ até que foram cheios com o Espírito Santo. De repente, receberam grande autoridade. O poder acompanhava suas palavras e orações, dando-lhe coragem e ousadia. Como resultado da própria autoridade vinda de Deus, sua fé floresceu.


Texto retirado do livro Espírito Santo, meu companheiro_ David Yonggi Cho


“Mas aquele que nos confirma convosco em Cristo, e nos ungiu, é Deus, o qual também nos selou e nos deu o penhor do Espírito em nossos corações” ( 2 Coríntios 1:21,22).

Procuremos entender a maravilhosa benção do Espírito Santo, descobrindo o significado completo da garantia.
O que quer dizer a palavra “penhor”?

Primeiro, pensemos na situação mais comum de garantia.
Por exemplo, o fiador torna-se responsável pelo pagamento da dívida de alguém que ele garante. A responsabilidade de um fiador é um negócio muito sério.
Nós podemos ter total convicção sobre nossa salvação; mesmo assim satanás continua atirando setas de apreensão e dúvida em nosso coração. Ele nos ilude com inúmeras mentiras sutis como:
“Será que você pensa que o céu realmente existe? Esqueça essa grande tolice!” ou, então: “Ter fé é ter uma religião: não faz diferença, você pode professar qualquer uma! Todas as religiões são boas... levam a Deus!”.

Neste caso, não fosse pelo Espírito Santo que é garantia da validade do evangelho de Jesus, nossos espíritos enfraqueceriam; no final falharíamos, sem fé. Mas quando temos a plenitude do Espírito _ ele garante e assegurar a veracidade da Palavra a cada momento_ todas as setas de Satanás enfim são quebradas. O Espírito Santo age, a partir deste momento, como nosso fiador, ajudando-nos a crer sem uma só dúvida, de que Deus é real e que Jesus é nosso Salvador. Aleluia

Segundo, quando adquirimos algo à prestação, ou quando assinamos um contrato de compra de casa ou terreno, nós damos o pagamento da entrada como garantia. Se o contrato for cumprido nos termos combinados, sei com certeza que a propriedade será minha.
Do mesmo modo, o céu é justo. Salvos pela fé, recebemos o Espírito Santo como garantia. Enquanto estamos nesta terra, devemos viver em obediência e fiéis a palavra de Deus; caso contrário, o contrato será anulado. Devemos ter cuidado para não perder nossa preciosa libertação, ofendendo a Deus, ou caindo em pecado. Se andarmos pela fé, sendo sóbrios e vigilantes, o Espírito Santo, faz-nos transbordar com alegria e esperança. Seu contínuo encorajamento de que o céu é nosso, é a garantia da herança que um dia tomaremos posse.

Terceiro, a garantia tem um simbolismo interessante no tradicional processo de compra no Oriente Médio. Quando alguém vai negociar um lote de terra, o comprador volta pra casa com um saco grande, cheio da terra da área que negociou. Coloca este saco em algum canto de sua casa. Quando olha para aquela terra, cheira ou toca nela, tem certeza que comprou aquele lote. O saco de terra é sua garantia.

Qual é o paralelo espiritual? O Espírito Santo é nossa garantia no céu. Nós ainda não chegamos lá para tomar posse e gozar suas regalias; mas recebemos prova de que ele existe em realidade, quando sentimos a plenitude do Espírito Santo. Como é o céu?
Enquanto continuarmos no caminho desta vida, não vivemos um mera imaginação do céu. Agora e aqui mesmo possuimos parte do céu em nosso coração. Deus nos permite gozar um adiantamento, como prova da alegria, paz e descanso eterno do céu, enviando o Espírito Santo às nossas vidas. Ele nos conforta e atende. Que maravilha de amor!
Recebendo esta amostra do céu, de forma mais ardente suspiramos por ele, e assim nos dedicamos com mais fervor à vida de fé para que sejamos dignos e cheguemos lá.

Texto retirado do livro Espírito Santo, meu companheiro_ David Yonggi Cho




“Assim tomou Samuel o vaso de azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos, e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi” (1 Samuel 16:13). “E a unção que recebestes dele, fica em vós” (1 João 2:27).

Através do Antigo e Novo Testamentos o Espírito Santo é simbolizado pelo óleo. Mais uma vez, outro símbolo pode revelar-nos como ele age.

Primeiro, lugares e pessoas ungidos são santificados, separados para Deus. Deus mandou Moisés santificar o tabernáculo da congregação, a arca da aliança, todos os instrumentos e o altar com a unção do óleo (Êxodo 30:25-29). Moisés também ungiu Arão e seus filhos, consagrando-os para ministrar o sacerdócio (Êxodo 30:30). Deus falou a Samuel que ungisse Davi como rei (1 Samuel 16:13). E Elias ungiu Eliseu para ser profeta (1 Reis 19:16).

Hoje, aqueles que crêem no Senhor Jesus Cristo, são transformados por Deus numa geração escolhida, num sacerdócio real, numa nação santa e num povo de Deus pelo unção do Espírito Santo (1 Pedro 2:9). Ninguém pode receber tamanha graça sem ser revestido pelo poder do Espírito Santo.
Nascemos de novo pelo Espírito Santo e recebemos a função de profeta, por meio da qual pregamos a palavra. Um dia nós reinaremos com Cristo, ungidos pelo Espírito Santo. Como podemos deixar de agradecer a Deus?

Segundo, o óleo era necessário para abastecer os sete candelabros de ouro_ portanto, do óleo. Do mesmo modo só pela luz brilhante da unção do Espírito Santo, o mundo espiritual poderá ser revelado a nós.
Assim como nenhuma outra luz era permitida no lugar santo, do mesmo modo só a luz do óleo do Espírito pode iluminar a palavra de Deus_ o segredo do lugar santo celestial.


Terceiro, o óleo restaura desgastes e danos produzidos pela ficção de partes que se atritam. Como poderíamos lubrificar o espírito humano, dilacerado pelas discórdias sem fim? Por que igrejas e cristãos hoje são tão destruidores? É porque não tem recebido a unção do Espírito Santo. A lubrificação com o óleo da paz, amor e cura, acontece quando somos cheios com o Espírito.

Quarto, óleo é um ingrediente necessário para a preservação da vida. Por que os espíritos de alguns crentes têm-se tornado secos como os ossos no vale da visão de Ezequiel? Por que a igreja está definhando, tanto em qualidade quanto em quantidade?
É porque os cristãos não têm recebido o óleo do Espírito Santo, a nutrição celeste indispensável ao nosso espírito. A história e a realidade provam claramente que, tanto igrejas como cristãos, quando cheios do Espírito Santo são bem nutridos. Isso acontecia no passado e assim continuará sempre.
Texto retirado do livro Espírito Santo meu companheiro, David Yonggi Cho



“Então João testificou, dizendo: Eu vi o espírito descer do céu como pomba e permanecer sobre ele” (João 1:32).

Este versículo descreve a ocasião mais importante em que a pomba aparece como símbolo do Espírito Santo: quando Jesus foi batizado por João Batista no rio Jordão. Quando os céus se abriram, o Espírito de Deus desceu em forma de uma pomba e pousou sobre Jesus. Há profundos significados na metáfora de uma pomba como simbolismo.

Primeiro, no mundo inteiro a pomba é conhecida como um símbolo de paz. Em Gênesis, quando Deus destruiu toda carne pelo dilúvio, Noé e os sete membros de sua família acharam graças aos olhos de Deus. Foram salvos na arca. Quarenta dias depois que a arca pousou no Monte Ararat, Noé soltou uma pomba pela janela para ver se as águas já haviam baixado. A pomba voltou e Gênesis 8 relata: “Esperou ainda outros sete dias, e tornou a enviar a pomba fora da arca. Quando a pomba voltou a ele à tarde, no seu bico havia uma folha verde de oliveira. Assim soube Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra” (Gênesis 8:10,11).
A primeira evidência de que a paz retornará a terra. E que o julgamento a ira de Deus já haviam passado, foi uma pomba.

Que maneira tão bela de representar a presença do Espírito Santo! Portanto, ele não pode habitar nos espíritos humanos que esteja debaixo do juízo e ira de Deus. Jesus Cristo nos redimiu pela morte na cruz, e pagou, desse modo, pela ira e juízo de Deus. Quando confessamos nossos pecados e aceitamos Jesus como nosso Salvador, o Espírito Santo vem a nós, porque temos a prova redentora do sangue precioso. O Espírito Santo faz-nos sentir alegria de saber de que “quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”, (João 5:24), e “temos paz com Deus”(Romanos 5:1).

E isso não é tudo! Para aqueles que caminham em pecados para a perdição, em oposição e desobediência de Deus, o Espírito Santo continua a pregar o evangelho reconciliador de paz. A coisa mais importante que uma pessoa pode decidir hoje é, ou receber salvação e paz _ as novas maravilhas que o Espírito Santo traz ao nosso coração _ ou ser destruída.
A pomba é também um símbolo de mansidão e humildade, atributos do Espírito Santo que ele confere a nós. Fico sempre perplexo ao ver pessoas que dizem que receberam o Espírito Santo, mas agem e falam afrontosamente. Alguns se comportam como se estivessem tomados por um espírito maligno. Mas a evidência do Espírito Santo é um espírito manso e humilde.

A pomba é também conhecida como uma criatura pura e inofensiva. Ela não ataca, não mata outros animais, como o felino e a águia por exemplo. Correspondendo a esta descrição, observemos que o Espírito Santo é de fato como seu nome diz, um espírito santo.
.

Familiares de pessoas que são oprimidas por espíritos malignos, muitas vezes trazem os membros de sua família para meu escritório, pedindo-me para discernir o estado espiritual deles. Enquanto vou conversando com essas pessoas sofredoras, elas confessam sem exceção que obscenidades, pensamentos maus e linguagem abusiva fluem através delas contra sua própria vontade. Esse é o trabalho de Satanás. Pessoas assim deveriam apoiar-se na Palavra da verdade, e lutar contra Satanás até expulsa-lo de vez, então descansar sobre o poder purificador do sangue do precioso de Jesus. Se não tomarem essa decisão, por certo torna-se-ão mentalmente incapacitadas no final.

Ainda bem que posso dizer às pessoas que passam por lutas como estas, que elas poderão ser, de modo completo, libertas pelo sangue precioso do Cordeiro, e pelo poder da Palavra de Deus.
O Espírito Santo é sempre um espírito santo. Por não haver nada de ameaçador, nem ofensivo ou vil nele, não devemos também admitir qualquer transformação espirtual em nós que não seja dirigida à santidade. È verdade que não nos tornamos santos, instantaneamente, ao receber o Espírito Santo. Porém teremos poder para crescer em santidade e receberemos também sensibilidade que nos faça sentir culpados ao cometermos pecado. Se consideramos isto, nossa vida só tenderá a melhorar.

O Espírito de Deus não veio para ferir e matar, mas para salvar, curar e restaurar. Notemos a proclamação de Jesus, na sinagoga de Nazaré, concernente à sua missão e tendo auxílio do Espírito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me para epregoar liberdade aos cativos, dar vistas aos cegos, pôr em liberdade os oprimidos, e anunciar o ano aceitável do Senhor”(Lucas 4:18,19).

A quarta razão para o qual o Espírito Santo é simbolizado pela pomba é que o Espírito Santo é extremamente sensível ao mal.

As obras do Espírito Santo são extinguidas pela traição e deslealdade da humanidade. Mais do que qualquer outro animal, a pomba é amedrontável. Perseguida uma ou duas vezes, a pomba deixa seu ninho para sempre. Se quisermos viver em harmonia com o Espírito Santo em nosso coração, temos de ter muito cuidado e manter uma atitude reverente em relação a ele e nunca entristece-lo. Efésios 4:30 nos alerta: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus”. Se sempre nos opusermos a vontade do Espírito Santo, ele nos deixa-rá como faz a pomba _ que terrível acontecimento!

Quando, arrependido, David orou fervorosamente, derramando lágrimas diante de Deus depois de reconhecer seu pecado: Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo” (Salmo 51:11).

O Consolador que, desceu em forma de uma bela pomba e pousou sobre Jesus, desce sobre nós hoje, ancioso por encher nosso coração.

Texto retirado do livro: O Espírito Santo meu companheiro, David Yonggi Cho



"E não vos embriagueis com vinho, em que há devassidão, mas enchei-vos do Espírito" (Efésios 5:8). "Todos se maravilhavam e estavam perplexos, perguntando ums aos outros: que quer dizer isto? Outros, porém, zombando, diziam: Estão cheios de vinho!" (Atos 2: 12-13).




A Bíblia contrasta, ou em alguns casos compara a plenitude do Espírito Santo com embriaguez. Aqueles que tem experiência da plenitude do Espírito Santo, em seu coração entenderão bem o significado disto.




Como vinho, o enchimento do Espírito traz gozo e prazer aos corações. Apesar do vinho trazer mau resultado físico, o enchimento do Espírito Santo traz alegria espiritual e prazer celestial. A plenidade dele em nossa vida produz resultados maravilhosos: "Falando entre vós com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, dando graças sempre por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitai-vos ums aos outros no temor de Cristo"(Efésios 5:19,21). A plenitude do Espírito Santo faz-nos fortes na fé, e nos ajuda a servir a Deus _ não com entusiamo temporário, mas com gozo contínuo.




O vinho faz as pessoas parecem felizes, e também dá uma paz temporária à mente. Faz com que elas esqueçam ansiedade, preocupações ou tristezas. Porém tal estado não é normal, mas uma intoxicação. Quando o vinho é o Espírito Santo, não existe esse tipo de anestesiamento; o resultado é um estado normal de paz superambulante, permitindo-nos que nós livremos da ansiendade do mundo, cuidados e preocupações. Esta é a vontade do Criador!




Um terceiro afeito do vinho é que ele dá uma ousadia fora do comum, fazendo as pessoas assumirem atitudes corajosas, por vezes incontroláveis até. Vida cheia do Espírito Santo possui também coragem e ousadia.


O Espírito Santo pode transformar uma pessoa tímida, numa pessoa brilhante, ousada, que não tema em dar até a sua própria vida. A ousadia que vem com a plenitude do Espírito Santo, capacita-nos a amar a verdade, a justiça, a mansidão e a humildade; e também a pregar o evangelho com autoridade. Esta mesma plenitude dá-nos audácia para derrotar o pecado, e vivemos vida vitoriosa.




Por último, a pessoa embriagada não sente dor física porque os sentidos estão anestesiados. Vi uma vez um soldado estrangeiro moribundo e embriagado, agarrando arame farpado sem sentir que suas mãos sangravam. O Espírito Santo não entorpece nossos sentidos físicos, mas o poder do seu amor e sua força perseverante podem isolar-nos das setas malignas espírituais. O Espírito Santo nos dá força para nós marter-nos em pé , firmes.


É verdade que aqueles que são cheios do Espírito muitas vezes assemelham-se às pessoas embriagadas. Intoxicação com vinho representa um excesso perigoso, enquanto que a plenitude do Consolador torna a pessoa perfeita.


Texto retirado do livro Espírito Santo, meu companheiro, David Yonggi Cho


****************



Passagem das bodas de Canã : a transformação da água em vinho por Jesus Cristo




Na Bíblia o vinho era enaltecido como um licor escolhido por Deus para simbolizar o amor, sendo por isso citado cerca de 521 vezes em várias passagens. A Igreja Católica e, em especial, o monarquismo tiveram um papel fundamental para a implementação e desenvolvimento da cultura vinícola na Idade Média. Tornando-se a maior proprietária de vinhedos, deu a conhecer na época a técnica do fabrico do vinho à Europa.



"Ele [Jesus] vos batizará com o Espírito Santo e com fogo" (Mateus 3:18)


Fogo, usado como símbolo do Espírito Santo é bastante conhecido, mas a verdade é que esta metáfora representa não é muito bem reconhecida.


Primeiro, no antigo testamento sem exceção, a presença de Deus era manifestada através do fogo. Alguns eventos históricos maravilhosos mostram que o fogo acompanha a presença de Deus. Quando Moisés vigiava o rebanho de seu sogro no Monte Horebe, encontrou-se com Deus ao lado de uma sarça que ardia sem se consumir (Êxodo 3: 1-5).


Em 1 Reis 18, quando teve uma contenda com 450 profetas de Ball no Monte Carmelo, Elias os desafiou deizendo que aquele que respondesse por meio de fogo diante de todo povo, seria o verdadeiro Deus! Quando Elias recebeu a resposta, destruiu os idólatras.


Depois da ascenção de Jesus, 120 descípulos reunirão no cenáculo em Jersalém encorajando-se mutuamente, enquanto esperavam pelo cumprimento da promessa do Senhor_o Espírito Santo.

Então, na festa de Pentecoste: "De repente veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda casa onde estavam assentados. E viram línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles" (Atos 2:2-3).

Aqui vemos que o Espírito Santo, o qual Jesus enviou, também apareceu no meio do fogo. É evidente que Deus age entre as chamas do Espírito Santo.


Segundo, o fogo queima, destrói tudo que é indesejável. O método mais perfeito de purificação conhecido pela humanidade é através do fogo. Todas as espécies de lixo e coisas deterioradas são queimadas.

Quando o Espírito Santo habita em nossa vida, consome o pecado que está dentro de nós (Hebreus 12:29; Jeremias 23:29).

Vida de santidade e justiça só é possível quando realizado este trabalho consumidor dentro de nosso coração.


Terceiro, o fogo nos provê luz que alarga a esfera e as horas de nossa atividade. A civilização humana é chamada "civilização da luz". Quão dirigentemente pessoas buscam o fogo que ilumina o mundo material, enquanto são indiferentes ao fogo de Espírito Santo, que ilumina a alma que é eterna!

O Espírito Santo que vem em nosso coração enegrecido pelo pecado e a morte, e mediante o derramamento de sua luz divina e celestial nos ajuda a ganhar a vida eterna e conhecer o segredo do céu.


Quarto, o Espírito Santo é simbolizado pelo fogo porque este nos dá amor sobrenatural pela obra da evangelização. Quando o Espírito Santo se apossa de nosso coração, o amor do Senhor e o entusiamo pelo trabalho do evangelho ardem como fogo dentro do nosso espírito.


Quinto, simboliza poder. O instrumento de poder que dirige nossa civilização é obtido, primariamente, pelos meios de combustão. Os jatos supersônicos, caminhões, trens, muitas coisas que nos fornecem conforto e comodidade funcionam pelo poder de uma faísca, pelo poder do fogo.


Assim também o Espírito Santo nos provê com o poder do céu, tão urgente e necessário para nossa vida pessoal de fé e para o ministério da pregação do evangelho. Torna-se vã a tentativa de começar o trabalho evangelístico sem receber o poder divino providenciado pelo fogo do Espírito Santo.


Texto retirado do livro Espírito Santo, meu companheiro, David Yonggi Cho.



1 ano de Blogg



Hoje, pensamento livre completa um ano, me sinto feliz em poder compartilhar com o mundo meu ponto de vista e das demais pessoas que pude conhecer através dos livros e textos que lí.

Aqui tem um pouco de muita gente, consegui reuni idéias que considero corretas e que acrescetam conhecimento a quem por aqui passar.

Obrigada a todos que de uma forma ou de outra estão presentes nas palavras deixadas nesse mundo virtual, em especial a Rosana Madjarof, Jaciede Rodrigues, João Mendes e Fabrício Rocha...e a todos os demais.

Muito do que esta escrito nesse blogg, são de leituras minhas e não perdendo de vista o que esta acontecendo na atualidade.

Um abraço a todos !
Felicidades Mil.


Simone Ramos.




********************************************************************************

Símbolo do Espírito Santo _Chuva


"Ele será como a chuva sobre a erva ceifada, como os aguaceiros que emudecem a terra" (Salmo 72:6). "Conheçamos, e prossigamos em conhecer o Senhor. Como a alva será a sua saída; ele a nós virá como a chuva serôdia que rega a terra". (Oséias 6:3).


Há duas razões claras para o uso da metáfora do Espírito Santo como a chuva. Falemos sobre a terra: ela não pode produzir nenhum fruto, nem manter qualquer tipo de vida a não ser que receba chuva.

Nos dias do profeta Elias no antigo testamento, quando todas as plantas e árvores estavam secas e a vegetação morta, Elias orou ardentemente pedindo chuva. A chuva caiu e a terra produziu fruto. Assim como a terra pode produzir fruto e preservar a vida apenas quando recebe chuva, a vida espiritual de uma pessoa também só pode renascer, produzir fruto, e conservar a vida de poder, mediante a chuva do Espírito Santo.

Uma segunda razão para simboliza-lo como chuva que irriga a terra é um pouco mais complexa. Na palestina os fazendeiros esperam chuva duas vezes durante a estação do plantio. A primeira delas cai no fim de outono e é chamada primeira chuva.


Quando a primeira chuva chega, os fazendeiros fazem rapidamente a semeadura do trigo ou cevada, e estas sementes absorvem a umidade daquela chuva. As sementes germinam, mas durante o inverno vivem com dificuldades. Quando chega a primavera, ventos quentes do sudeste sopram e a chuva cai de novo dando nova vida. Os fazendeiros palestinos chamam essa chuva de primavera "última chuva". Então as plantas absorvem a chuva e crescem rápido, até serem colhidas.


Este ciclo natural é mencionado em relação ao Espírito Santo, no livro de Tiago. "Sede, pois irmãos, pacientes até a vinda do Senhor. Vede que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até receber as primeiras e últimas chuvas" (Tiago 5:7).

Quando o Senhor Jesus veio à terra, semeou a semente do evangelho. Dez dias depois da sua ascenção, no dia de Petencostes, 120 cristãos que receberam esta semente estavam reunidos em Jerusalém. quando oraram, um som do céu como vento muito forte encheu a casa onde se reuniam os seguidores de Jesus. Línguas como de fogo desceram pousando sobre cada um deles e foram imediatamente cheios com o Espírito Santo, naquele momento a igreja de Jesus Cristo foi estabelecida.

Agora que a igreja tem recebido o Espírito Santo na abundante "última chuva" (serôdia), estamos testemunhando sua atuação como fez a igreja cristã em seus primórdios. Apesar de algumas pessoas não entenderem o trabalho de Deus nos dias de hoje, apesar da oposição a esse movimento do Espírito Santo, ninguém pode deter a ação e vontade de Deus; o cumprimento do seu trabalho não falhará. Nós so podemos dar graças, louvor e honra a Deus, que nos restaura o poder da igreja primitiva, derramando a "última chuva" do Espírito Santo.

Texto retirado do livro: O espírito santo, meu companheiro, David Yonggi Cho.


Foto do dia 8/12/2009

São Paulo teve o dia mais chuvoso dos últimos dois anos.


"O vento sopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai. assim é todo aquele que é nascido do Espírito Santo" (João 3:8).

A palavra grega para vento e espírito é a mesma pneuma. Então, traduzindo literalmente, o Espírito Santo seria o "Vento Santo". Existe graças a ambundância nesta metáfora do Espírito Santo. Porque dizer isto?


Primeiro, o vento penetra em todo lugar na terra. O ar quer respiramos existe em todo espaço vazio por menor que ele seja. Jesus disse que o Espírito Santo ficaria conosco para sempre; não há lugar na terra onde ele esteja presente. Ele age ao redor dela de tal modo que ninguém pode monopolizá-lo ou resisti-lo. Como explica a Bíblia, não somos mais órfãos quando o conhecemos, recebemos e convidamos o Espírito Santo para estar conosco e dele nos tornamos dependentes. ( João 14:18).

Segundo, o vento é ar em movimento constante. Nós sentimos o vento mover quando o ar circula da alta pressão atmosférica para a baixa pressão atmosférica. Assim o Espírito Santo trabalha continuamente. É errônea a idéia de que o Espírito Santo só atuava na época do antigo testamento e nos primeiros tempos do novo testamento, e depois disso desapareceu como uma névoa. Assim como o vento sopra hoje, da mesma maneira como fazia séculos passados, o Espírito Santo continua exercendo sua função.

O Consolador flui nas áreas de baixa pressão atmosférica_ entre o pecado, doenças, tristezas e desespero_ e esta sempre pronto para ajudar com mensagens de alegria, pedão, cura e vida eternal. Todos que vinherem ao Senhor com coração quebrantado e obdiente sentirão a experiência da regeneração realizada pelo Espírito.

Terceiro, o controle da direção do vento não depende da nossa vontade. Jesus disse que o vento sopra onde quer (João 3:8). Como o Espírito Santo tem a vontade suprema e age de acordo com seu próprio propósito, devemos seguir sua direção obedientemente, porque andamos pela fé.

Quarto, o vento, quando sopra refrigera o ar e enche de vitalidade. Que maravilha bem-estar a aragem fresca proporciona, num dia de verão sufocante! O vento soprando num ambiente repleto de gás intoxicante refresca e purifica a atmosfera.

Da mesma maneira age o Espírito Santo. Quando nos sentimos ansiosos e depressivos pelos problemas da vida e as tentações do pecado, ele penetra em nosso coração como o vento, dando-nos nova vida e vitalidade celeste. Ao inundar nosso espírito, deixa-nos cheios de alegria pela vida e com o ardor da fé.

Água, Valorize!
Espírito Santo


"Pois Deus não nos chamou para a impureza. mas para a santificação. Portanto, quem rejeita estas coisas, não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vós dá o seu Espírito Santo " (1 Tessalonicenses 4:7-8)


Entre os três membros da santíssima Trindade, o Espírito Santo, em particular, exerce a função de santificador e purificador, como seu próprio nome indica. Ele é o poder que produz santidade e pureza nos crentes. Ele os afasta dos pecados desta terra, onde espíritos imundos agem praticando o mal nos filhos da desobediência. Com este espírito de santidade podemos distinguir o espírito que pertence a Deus do espírito que pertence a Satanás.





"Jesus pôs-se de pé, e clamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva"
(João 7: 37-38).



Em muitas passagens da Bíblia a água é usada como símbolo do Espírito Santo. Porque essa metáfora é adequada? Se observarmos a relação que existe entre a água e a vida humana poderemos entender muitas coisas sobre o Espírito Santo.



Primeiro, a água é indispensável a preservação da vida. Um ser humano é composto de 60% de água. Se ouver desidratação provocada por vômitos ou diarréia a pessoa corre o risco de perder a vida física. De modo similar, o Espírito Santo é indispensável à nossa vida espiritual. Nascemos de novo dele (João 3:5), e bebendo dele continuamente (1 Coríntios 12:13), podemos preservar nossa vida espiritual. Através do Espírito Santo nos tornamos vigorosos, fortes, podendo desfrutar vida plena sem jamais sentir sede (João 4: 13-14).



A água é também indispensável para limpeza do nosso corpo. Se não tivermos acesso à água por tempo prolongado, nos tornaremos doentes, podendo até mesmo morrer, devido as complicações pela falta de higiene. Não é verdade? Todos os dias lavamos nosso corpo, nossas roupas, utensílios de cozinha, etc. Assim nossa vida espiritual deve ser lavada também pelo Espírito Santo. Por certo, somos limpos de nossos pecados ao crermos no sangue precioso de Jesus; mas o Espírito Santo_ como se nos lavasse com água_ refrigera-nos, renova nossos corações afim de que possamos seguir em frente com vidas limpas, regeneradas (Tito 3:5).



O Espírito Santo é origem de vida para aqueles que são obedientes; porém ele é o Espírito de julgamento, uma torrente consumidora para os desobedientes.



Nos dias de Noé, Deus usou o dilúvio condenando o mundo por seus pecados e desobediência (Gênesis 7).

Deus julgou Faraó e seu exército, destruindo-os no mar Vermelho (Êxodo 14:28).

Em Atos 5, Ananias e Safira morreram ao serem julgados pelo Espírito Santo, pois lhe haviam mentido.

Atos 13:18-13 conta a história de Elimas, uma mágico que se tornou cego pelo Espírito Santo quando se opôs à pregação do evangelho por Paulo.



E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção" (Efésios 4:30)

A marca da promessa






“Uma marca é uma promessa, um compromisso. Revela aos consumidores o que promete fazer por eles. A promessa contida na marca Victoria's Secret é a de que os seus consumidores irão adquirir produtos de moda de excelente qualidade que os vão fazer sentir e parecer melhor. A promessa estende-se ainda para o fato de que eles irão receber os produtos encomendados num tempo razoável e se por alguma razão não ficarem satisfeitos, poderão devolver os artigos adquiridos que serão reembolsados. (...)”



A Empresa Espiritual é o terceiro céu, onde esta assentado sobre o trono o Poderoso Criador e seus anjos na mansão celestial, junto ao Seu Filho Jesus Cristo que selou a “Promessa da Marca Divina”! A Base geral de suas inúmeras promessas sobre essa Marca é a SALVAÇÃO! Permitida ser nos dada pelo Sangue Derramado do Cristo – O Filho de Deus. Esta então foi à promessa da Marca de Deus: O Espírito Santo. E se não gostar... Pode-se desfazer deste!



"(...) A maior parte das marcas tem um déficit no que diz respeito às promessas, contidas nos seus produtos, que fazem aos seus consumidores. Se os consumidores pudessem fazer uma espécie de manual de promessas que as suas marcas favoritas deveriam conter, seria algo como:



• Uma promessa de que irá gostar do produto e da marca
“Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (JOÃO 16:33)



• Uma promessa de que estaremos sempre atentos às últimas modas
(Mateus 24-35 ) "O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar".



• Uma promessa de que ficará satisfeito com a sua escolha
"Deleita-te no Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração" (Sl 37:4).



• Uma promessa de que se algo correr mal, nós estaremos lá para ajudar
"Não temas porque eu sou contigo; não te assombres porque sou o teu Deus; eu te fortaleço e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel." (Isaias 41;10)



• Uma promessa de que consertaremos qualquer coisa que tenha corrido mal
(Mt. 18:21,22) Então, Pedro, aproximando-se, lhe perguntou: "Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete".



• Uma promessa de que pode confiar em nós no que diz respeito a cumprir as nossas promessas
“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”(João 3:16)
"Está consumado." (João 19:30).




Fonte:Carmem Tassiany



E nos últimos dias levantar a bandeira da paz e lembrar do que disse o Apostolo Paulo: Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. (2 Timóteo 4:7)

História da Matemática




A Ciência dos Gregos
Se nos fosse possível voltar à época de 640 a.C., na então florescente cidade de Mileto encontraríamos um próspero comerciante, já muito famoso, por, entre outras coisas, ter predito um eclipse ocorrido em maio de 585 a.C. Chama-se Tales, e foi posteriormente incluído entre os denominados "sete sábios da Antiguidade". Sendo comerciante, teve oportunidade de tomar contacto com a matemática dos egípcios. A matemática egípcia tinha um caráter eminentemente prático; não era formada por um corpo de conhecimentos interligados, mas sim, por conhecimentos esparsos. Um dos poucos fragmentos de que dispomos dos conhecimentos matemáticos dos egípcios se acham no denominado papiro de Rhind, de autoria do escriba Ahmes. Esse papiro é a assim chamado em honra a um antiquário escocês que o comprou em 1858 de um mercador da cidade de Luxor, às margens do Nilo.
Em tal papiro encontramos as seguintes palavras (sobre o objetivo mesmo): "direção para saber todas as coisas obscuras".






Euclides

Pouco se sabe com certeza da vida de Euclides.

Sabemos que viveu em Bizâncio entre os anos de 485 a 410 a.C. Nesse tempo, o sábio Ptolomeu I, sucedia a Alexandre Magno no trono do Egito. Sob seus cuidados, surgiu em Alexandria uma instituição, denominada "Museu", que congregava a maioria dos sábios da época. O Museu foi erigido ao lado do palácio real, tinha dependências residenciais, salas de aula, e de conferências, e o que é mais importante — a maior biblioteca da época. Euclides foi o primeiro diretor do Museu, e, graças a isso, pode organizar os resultados obtidos por matemáticos anteriores (Tales, Pitágoras, Eudoxo e outros).

Tal organização se acha em sua imortal obra, modestamente intitulada de "Os Elementos'.

"Os Elementos" é um conjunto de 13 livros dedicados ao fundamento e desenvolvimento lógico e sistemático da geometria. O primeiro livro trata das questões que são fundamentais para a geometria, e o seu estilo, sua ordenção, serviram de normas diretoras para todas as outras obras posteriores da matemática. Os princípios dos quais parte Euclides para edificar a geometria são as definições, os postulados e os entes primitivos.

As definições são, no ínicio, em número de 23, e ao todo, no texto, atingem 120. Por exemplo, no primeiro livro, encontramos as seguintes definições:

"Ponto é aquilo que não tem partes"

"Reta é o comprimento sem espessura"

"Superfície é o que tem unicamente comprimento e largura"

"Retas paralelas são aquela que, estando em um mesmo plano, não se encontram ao serem prolongadas indefinidamente".

Essas definições, agora nos parecem um tanto ingênuas e despidas de rigor lógico, mas tenhamos em conta a época em que foram escritas e o pioneirismo de Euclides. Adotando em seguida 10 postulados Euclides deduz seus teoremas. A partir do dia de seu aparecimento "Os Elementos" se tornou a obra clássica da Geometria, e de tal modo foi difundida que chegou a sobrepujar o seu autor, a ponto de, na Idade Média, se negar a existência física de Euclides. Os sucessos de Euclides Depois de Euclides, dois matemáticos de gabariot apareceram em Alexandria: Apolônio e Arquimedes, sendo este último considerado uma das maiores personagens da Antiguidade. É interessante notar-se que tanto Apolônio como Arquimedes fizeram suas investigações matemáticas dentro de um espírito platônico, isto é, na mais alta abstração dos fatos concretos que deram origem às mesmas. Apolônio, dedicou-se principalmente ao estudo de uma família de curvas denominadas de — cônicas.

A razão desta denominação é que tais curvas resultam de um corte conveniente do cone. Dependendo da maneira como cortamos o cone, resultará uma circunferência de círculo ou uma elipse, ou uma parábola, ou ainda uma hipérbole. As curvas cônicas desepenham papel relevante na física e na matemática atual. As órbitas do planetas são elipses, a trajetória dos foguetes balísticos são parábolas, os espelhos dos telescópios são parabólicos, etc. Apolônio recebeu um apelido curioso de seus discípulos, o de Épsilon, em virtude de sua sala de aula ser designada pela letra grega épsilon. Podemos dizer que Apolônio, com a sua obra, deu um "fecho de ouro" na geometria grega. Mas ele ainda não seria o último; em seguida nos encontramos com um verdadeiro gênio — Arquimedes de Sirascusa.

Arquimedes — O "Newton" grego

Arquimedes nasceu na cidade de Siracusa no ano 287 a.C., descendente da família real. Embora da época tão remota podemos considerar Arquimedes como um moderno em pesamento. Realmente podemos equipará-lo com o genial físico e matemático inglês Isaac Newton. Arquimedes não foi só matemático, mas também iventor. Seus inventos eram baseados no que hoje chamamos de máquinas simples — alavancas, roldanas, sarilhos. É famosa a sua afirmação (querendo ressaltar os efeitos de uma alvanca):

"Dai-me um ponto de apoio e eu moverei o mundo".

Arquimedes construiu muitos engenhos de guerra, através dos quais a sua cidade, Siracusa, conseguiu resistir às hostes romanas durante mais de dois anos. Sabe-se que Arquimedes incendiou e destruiu uma esquadra romana, usando espelhos parabólicas. Aida é sua descoberta o "parafuso sem fim", o qual utiliza para elevação da água. Um problema onde Arquimedes mostrou toda a sua habilidade como matemático foi, sem dúvida, aquele para se calcular a àrea de um círculo de raio R.

Para isso ele usou um raciocínio que só mais tarde (1600 a 1700 d.C.) iria ser utilizado por Newton e Leibniz na invenção do cálculo infinitesimal.

Seja S a área do círculo. Dividimos tal círculo em número muito grande de partes iguais (por meio de triângulos). Obtemos assim um polígono cuja área A é menor que S (área do círculo). Coloquem-se agora tais triângulos sobre uma reta. O segmento AB tem para medida um número que chamaremos de P.

P é o menor que o comprimento de C da circunferência do círculo. Com esta tira de triângulos podemos formar um "retângulo" de altura R (aproximadamente) e base 1/2P, obtido dobrando-a ao meio (para um número finito de triângulos, temos um paralelogramo). A área desse "retângulo" é A e é menor que S.

A área de A se aproximará de S quanto maior for o número de divisões. Se o número n de divisões for infinito, a área A coincidirá com S e o comprimento P coincidira com c. Um outro problema que sempre apaixonou Arquimedes, e que, segundo ele, era "o mais difícil", foi o de encontrar a relação entre o volume do cone, da esfera e do cilindro, um colocado dentro do outro (cone e cilindro equiláteros, inscrito e excrito na esfera) Uma famosa descoberta de Arquimedes é o conhecido "Princípio de Arquimedes", da hidrostática, que diz:

" Todo corpo imerso em um fluido recebe deste um empuxo vertical (de baixo para cima) em intensidade igual ao volume deslocado do fluido".

Conta a lenda (narrada posteriormente pelo arquiteto romano vitrúvio) que Arquimedes descobriu tal princípio enquanto tomava banho, e que saiu gritando pelas ruas — "Eureka, Eureka! que quer dizer "Achei"!

FONTE: “LISA - BIBLIOTECA DA MATEMÁTICA MODERNA

Evolução Espiritual


Embora o nosso corpo físico se vá

desfazendo,

o nosso ser interior vai-se

renovando a cada dia (….)

não procuramos as coisas visíveis, mas

as invisíveis


2 Coríntios 4;16-18


Feliz do homem que encontrou a sabedoria e alcançou o entendimento


Provérbios 3,13

Pastora das nuvens

Cecília Meireles



“Refazer com imaginação todas as coisas que acontecem por estes lugares”,


Sua religião é Deus em poesia.


“Para além de hoje e outrora,/ veremos os Reis ocultos/ senhores da Vida toda,/ em cuja etérea cidade/ fomos lágrima e saudade/ por seus nomes e seus vultos.”


É em seu Romanceiro, aliás, que ela suplica aos santos. É em vida que lhes dedica pequenos oratórios. “Com as mãos no altar, o acender luzes/ pés na fria pedra.” É Clara a sua luz.
Não há sossego para a viajante, que questiona a si própria:
“Cavalo e cocheiro, tu e eu: estaríamos acordados ou dormindo? Vivos ou mortos? E quem éramos, com certeza, fora do nosso nome, do nosso passaporte, das relações que ao longe conversávamos – tão longe, além de tantos mares e montanhas...?”
Questiona mas aceita, pois essa é a sua meditação.
Deixa que ele a leve por onde quiser. Ele também é um artista. "Como não há de ser artista um homem habituado a conduzir o seu carro - ofício, aliás, de Apolo - por entre vetustos palácios, ao longo de velhas ruínas, com o presente misturado a um passado de glórias e derrotas, conhecendo (a seu modo) imperadores e santos...?" A poeta conhece as cartas.

"Foto tirada por mim"



(Todas as graças da mente e do coração se escapam quando o propósito não é firme)


Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.


E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida


Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.


Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.


Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.

Chamando mulheres hábeis



(Ex. 15.20-21 )

( Is. 28.8 )

( I Tm.4.12 )

( At. 9.39)




“Todas as mulheres hábeis, traziam o que, por suas próprias mãos tinham fiado...” (Êxodo 35.25)
Neste episódio do livro de Êxodo, as mulheres israelitas tiveram a oportunidade de avaliar exatamente onde seu coração estava. Forçadas a optar entre Deus e o ouro quando Moisés pediu uma oferta espontânea para a construção do tabernáculo, grande número de mulheres dispostas de coração pôs em prática a regra número um de oferta a Deus: “doe seu tesouro”. O coração generoso daquelas mulheres transbordava de gratidão a Deus, e elas doaram espontaneamente seus bens materiais.
Outras também fizeram doações, mas obedecendo à regra número dois: “doe seu talento”. Essas mulheres empregaram os talentos que o Senhor lhes deu utilizando o material ofertado pelas mulheres que doaram seus tesouros. Elas sabiam fiar e puseram mãos à obra. Não tinham grandes riquezas, mas tinham o dom de transformar em belo tudo que tocavam.
Como você, minha querida irmã, tem usado os talentos que Deus lhe deu? Acha que seu talento é um tesouro e que pode ser usado para a glória de Deus ou tem enterrado seu talento achando que é pouco para apresentá-lo ao Senhor?
Imagine os trabalhos maravilhosos que as mulheres israelitas doaram à casa de Deus. Elas transformaram os pelos de cabras e as peles de carneiros em peças suntuosas para enfeitar o local de adoração ao Senhor! Dedicaram seus talentos e habilidades a Deus. Quando puseram mãos à obra, revelaram a generosidade de seu coração de maneira que todos se admiraram.
Avalie suas aptidões, habilidades e especialidades. Você costuma reconhecer que seus dons vêm de Deus? Costuma orar sobre como usar seus talentos para o propósito do Senhor? Costuma usá-los em benefícios de outras pessoas e até mesmo em prol de uma melhor adoração?
Disponha-se em devolver a Deus os talentos que Ele lhe deu!


Também somos chamadas para "Servir umas as outras" (Ex. 35.22)





A dança de Miriã


A dança está sim presente na Bíblia: Êxodo 15:20"


Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, tomou na mão um tamboril, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris, e com danças."A dança de Miriã, foi uma dança de gratidão, como se pode ver ao continuar a leitura desse texto de Êxodo. Em muitas referências do velho testamento não vemos desaprovação, só afirmação desta forma de adoração. As pessoas são exortadas a louvar Deus " dançando, fazendo melodia a Ele com adufes e harpa" (Sl 149:3), e para que "O louvasse com adufes e dança" (Sl 150:4).


A dança como forma de adoração é uma tradição hebraica e era parte integrante das celebrações dos israelitas antigos. A raiz freqüentemente usada para a palavra " dança" no Testamento Velho é "hul" que se refere ao redemoinho da dança e implica movimento altamente ativo.


Um dos expemplos mais conhecidos de Adoração a Deus com Danças é a do rei Davi, quando a Arca da Aliança estava voltando para a nação de Israel, II Samuel 16:14-16. A Palavra diz que Davi dançava com todas as suas forças, implicando que devemos dar o nosso melhor para Deus em qualquer situação, e a que Davi estava passando era de extrema alegria com o retorno da Arca para as mãos do povo hebreu.

“O som festivo dos tamborins foi silenciado, o barulho dos que se alegram parou”
( Isaías 24.8 )
A Falsa alegria do Carnaval

O que é uma fantasia?

É tudo aquilo que não corresponde à realidade, fruto da imaginação. Parecer alegre é bem mais fácil do que ser alegre. Parecer feliz é infinitamente mais fácil do que ser feliz. Satanás é mestre em ocultar a miséria através da falsa alegria. A sua principal fantasia é a da alegria. Fantasiado de alegria atrai milhões, sem revelar o que está oculto.


A alegria é só uma fantasia quando embaixo dela, ocultos, estão o pecado, o desânimo, a miséria de um país que tem seu ensino em frangalhos, a saúde sucateada, o domínio do crime organizado, o tráfico e consumo de drogas, a gravidez adolescente em níveis assustadores, a corrupção em todos os níveis da sociedade, das pequenas cidades às grandes metrópoles.


A alegria é só uma fantasia quando a realidade da quarta-feira de cinzas é difícil de ser suportada. Volta-se à pobreza, à falta de emprego, de dinheiro, de perspectivas de crescimento pessoal, de falta de moradia digna, de miséria familiar.
Com tantos inimigos aguardando na quarta-feira compensa investir durante um ano inteiro para apenas quatro dias? Quatro dias compensam os outros trezentos e sessenta e um? Os inimigos do brasileiro são muitos e são persistentes. Por estar tão longe o dia da vitória sobre eles parece estranho parar quatro dias para se alegrar.


Na bíblia a alegria muitas vezes está associada à vitória sobre os inimigos. A vitória de Josafá sobre Moabe e Amom foi um desses momentos onde a alegria era muito grande e justificada:
“Então voltaram todos os homens de Judá e de Jerusalém, e Josafá à frente deles, e tornaram para Jerusalém com alegria; porque o Senhor os alegrara com a vitória sobre os seus inimigos” (II Crônicas 20.27).


Rasgar a fantasia da falsa alegria é mostrar a verdadeira face da sua personalidade, depois de haver tentado dissimulá-la. Se fosse possível ver o que está debaixo da sua fantasia, ficaria claro que liberar-se das “amarras”, “soltar os demônios”, dar vazão à carne e à vontade própria tem um preço e esse preço é muito alto. Para muitas pessoas, carnaval é como sair de férias por 4 dias, arcando, porém, com as despesas da viagem durante o resto da vida. Não serão apenas 10 ou 12 parcelas de pagamento. O preço pago será muito alto e prolongado. Talvez não valha a pena o “investimento”.


O grande engano que o “folião-chefe” implantou no coração dos homens é que para haver alegria é necessário que haja insensatez, falta de limites. O conselho da Palavra de Deus sobre isso é totalmente diferente. A alegria vem pela realização pessoal, pela paz de espírito, pelo conhecimento do Deus Eterno e é permanente; dura todos os dias da sua vida e não apenas 4 dias.
Trocar a justiça pela iniqüidade, como pretexto para alegrar-se, é um caminho certo para esperar por cinzas na quarta-feira. O caminho oferecido por Deus é contrário, mas garante um diferencial em relação aos companheiros de bloco:
Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheiros – Salmo 45.7.

Fortaleza


Texto:
Salmos 46.1-11
A vida é cheia de altos e baixos. Em determinado momento estamos felizes, e em outro, estamos tristes; há momentos em que desfrutamos de plena paz, saúde e alegria e em outros, passamos por grandes tribulações. Na vida temos duas opções a seguir, ou nos prostramos diante das adversidades e tribulações, ou continuamos nossa caminhada em direção a vitória final.
Em uma breve definição do que venha a ser tribulação; resumidamente podemos dizer que tribulação é todo o sofrimento e tristeza que esperimentamos em determinados momentos da vida, isto é, tribulação é o nosso deserto, o nosso fundo de poço, nossa dor, nossas lágrimas em meio as dificuldades.
Quando tudo vai bem, não questionamos e nem nos preocupamos em argumentar com Deus. Mas quando tudo vai mal, mudamos nossa postura e atitude diante de Dele e começamos a argumentar e questioná-lo, Porque? Não é difícil questionar a Deus quando temos saúde, dinheiro no bolso e podemos fazer tudo o que nos convém. Porém, quando a saúde ou mesmo o dinheiro nos falta, somos campeões em argumentar o porque de nossas mazelas ao Senhor.
Quero pensar com vocês sobre as fontes da nossa tribulação. Que podem ser três: 'Deus o Diabo ou o próprio homem'. Quando a fonte da nossa tribulação é Deus, podemos entender que Ele está provando a nossa fé. Quando a fonte da nossa tribulação é o Diabo, então, entendemos que estamos sendo tentados. Quando a fonte da nossa tribulação é o homem, entendemos que somos os maiores culpados de estar passando por tribulações, isto é, o próprio ser humano atrai para si e por vontade própria, os problemas, sofrimentos e dores.
Neste caso, nem Deus ou o Diabo são a fonte de tribulação, mas, nós mesmos criamos nossa própria tribulação.O mais importante é que não importa a fonte da nossa tribulação, se Deus, o Diabo ou mesmo o homem. Importa saber, como vencê-las.
O versículo 1 do salmos 46 vai nos ajudar a entender melhor como vencer as tribulações. Lemos: "Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações". Quero dar destaque para três palavras que aparecem neste versículo: 'REFÚGIO, FORTALEZA e SOCORRO'.
Gilberto de Souza (http://www.pibtaquara.com.br/)

Gerar Filhos e Filhas

Conhecimentos


Gên 9,1: "SEDE FECUNDOS, MULTIPLICAI-VOS E ENCHEI A TERRA."

Isaías 61.9 E a sua posteridade será conhecida entre os gentios, e os seus descendentes no meio dos povos; todos quantos os virem os conhecerão, como A DESCENDENCIA BENDITA DO SENHOR.

O conhecimento humano é uma expressão usada para toda a experiência humana adquirida até o momento. É a soma de todos os pensamentos, criações e invenções da mente humana. Incluindo descobertas em diversas áreas da ciência; matemática, literatura, arte, entre outras.
Para se ter uma dimensão exata do conhecimento humano é preciso considerar que ele está em constante expansão, desde o início da humanidade e tem aspectos filosóficos e científicos a serem considerados para a apreensão de seu conceito.
"Segundo Platão, o Conhecimento humano integral fica nitidamente dividido em dois graus: o conhecimento sensível, particular, mutável e relativo, e o conhecimento intelectual, universal, imutável, absoluto, que ilumina o primeiro conhecimento, mas que dele não se pode derivar". As vezes precisamos de equilibrio em uma decisão na qual poderemos estar participando de um espetaculo entre a vida somos focos daquilo em que vivemos e encontraremos respostas pra tudo dentro do nosso ser a criatividade sobrepoe aquilo que envocaremos no presente o problema reflete nos sentido de observar em um procedimento que envocamos em nossa revisão de ideias a mensagem vem gravada e destinada aquilo que ocorre somos efeitos e reações uns dos outros mas porém seremos sempre nos mesmos num quadro de espelho de reflexão no outro individuo ao lado observamos que conhecemos nos atavés de passagem que envolvem o cotidiano o tempo porem reflete o sentido contrario o avesso da nossa visão ocultiva e desvendada na evocação de um pensar que descrime o que de fato houve o ocorrido com nossa vida diaria aqui permanecemos e evoluimos através de conceitos que criamos ao desenrolar do assunto em discusão oposta aqueles observador e a do cumplice em objetivo desejado o almejo do conhecer e entender o que de fato discipa a evolução o crescer se desenvolve espiritualmente através de vivenciar o por menor conher os frutos determinados ao nosso desenvolvimento ficamos em escolas variadas a vida porem reconhece o amigo oposto em uma classe de ocupação para desenvolver o que vai se disipando com o conhecer em um dialogo ou outro ficams varias vezes com o mesmo amigo porem apreendemos pouco com sua vida para dizer são anos de processo e construção aqui padece o que busca se preocupar com inimizades amigos que lhe serão caros aos olhos do sentido vida a percorrer sabera Deus o que se divulga na face do poder em encove do subordinado ocupante do planeta em elevado estagio de crescimento pois bem somos apenas detritos e fagulhas da esfera do conhecer e sempre preservando o nome cientifico das coisas diremos que somos perfeitos ao construir uma vida nobre diguina e sem defeitos a se enchergar no outro a sua fase de ser historia e descrição para repercurtir os assuntos da sociedade em andamento do que se foi a construir uma estatua ali parada empoeirada nos lembra a historia em que um dia por ali passara um ser que deixara a lembrança de sua liberdade.

Conheces a VERDADE e serás liberto. Na blíbia encotrarás a resposta para suas perguntas. Leia.

Sabedoria

A conquista da maturidade proporciona o surgimento da sabedoria. Esta virtude confere o poder de controlar impulsos e reações, ter uma visão de águia, reconhecer a verdadeira intuição, ser previdente. A pessoa que conquistou o poder da sabedoria é capaz de agir de forma correta, em todas as circunstâncias, com base em conhecimentos vastos, em sua longa experiência, na própria realidade. Pode-se observar o perfeito equilíbrio de todos os poderes e talentos quando a sabedoria está presente.

Do livro do autor "A Arte de Viver"
Ramiro Sápiras

Publicado no Recanto das Letras em 14/12/2005Código do texto: T85744

As Virtudes Humanas_Pureza


Pureza

Significa ausência de vícios de toda ordem. Presença de uma mente sã, plena de amor e justiça, isenta de máculas, livre de preconceitos e superstições.


Qual é o segredo de viver uma vida pura? A Bíblia diz em Salmos 119:9 “Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.” Deus promete felicidade aos que são puros de coração. A Bíblia diz em Mateus 5:8 “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus.”


A pureza é um requisito para a preparação da Segunda Vinda de Cristo. A Bíblia diz em1 João 3:2-3 “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.”


Precisão


Esta qualidade proporciona clareza e perfeita definição. Na presença de exatidão, os pensamentos, palavras e ações serão apropriados a cada circunstância. A virtude em questão possibilita a habilidade de fazer as coisas de forma correta. Graças ao autocontrole, paciência, serenidade, conhecimento de causa, este dom pode prosperar, trazendo benefícios incalculáveis ao progresso e bem-estar.





O que me tranqüiliza
é que tudo o que existe,
existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete
não transborda nem uma fração de milímetro
além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe
com essa exatidão
nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós
como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos,
a perfeição.


Paciência


Ser paciente significa ser calmo, sereno e equilibrado. Denota controle sobre desejos e emoções. Afasta o desespero e a aflição. Possibilita pensamentos e julgamentos imparciais e objetivos.


A paciência é uma virtude.
Não perca sua calma com coisas pequenas, seu fígado é demais precioso para que você o adoeça.
Procure dominar sua raiva, contenha-se o mais que puder para que uma simples atitude de cólera não destrua uma longa harmonia de amor e carinho.
Não tente encontrar respostas para seu mundo sem paciência de analisar os fatos. Atravesse as estradas escuras da vida com mais coragem. Conte até dez diante de uma discórdia, não revide as palavras, cale-se ao mau humor.
Devolva amor e paciência, e colherá felicidade.
Simone Luzzi




Misericórdia




É uma qualidade ímpar nos relacionamentos humanos. Esta virtude confere às pessoas o dom de perdoar as faltas dos outros, de compreender suas fraquezas, pois carrega em si a tolerância e a compaixão.




O desprezo pela misericórdia de Deus



Quantas vezes nos consideramos melhores do que os outros?
Quando não exercitamos a fé, deixando-nos dominar pelo medo, estamos, na verdade, desprezando a misericórdia de Deus. Romper com Deus é uma grande ingratidão. É violar livremente um tratado, pois os compromissos que tomamos com Jesus são solenes, sagrados e eternos. E por que isso acontece? O desânimo, a preocupação, a falta de fé são grandes responsáveis por abandonarmos sua misericórdia. E o Senhor sabe disso. Não foi à toa que Cristo nos ensinou a pedir o pão de cada dia, o perdão pelas ofensas, a vitória sobre a tentação e o livramento do mal. Ele conhece os nossos temores, ansiedades, fraquezas e necessidades.

Deus está, desde o princípio dos tempos, estendendo sua mão para a humanidade. Mas o homem, a cada dia que passa parece estar repelindo mais e mais essa graça, esse favor, rejeitando as dádivas de Deus, para satisfazer as próprias vontades.

Se a cada momento de dúvida, refletíssemos sobre a obra que Deus empreendeu para o nosso resgate, essa dúvida se transformaria em infinitas ações de graças.

Mas outro modo, igualmente perigoso, de desprezarmos a misericórdia do Pai é, em vez de termos medo ou nos sentirmos derrotados, confiarmos apenas em nossas próprias virtudes, na vida honesta que levamos, achando que somos os “reis da cocada-preta”.

Quantas vezes o povo de Israel não agiu assim, achando-se livre da justiça divina só por ser a descendência de Abraão. E nós também, que somos, pela fé, descendência de Abraão, quantas vezes não nos consideramos melhores que os outros, ou menos necessitados da misericórdia do Pai. Pensamos conhecer melhor do que ninguém o coração de Deus ou merecer mais seu perdão do que aqueles que cometem pecados medonhos. Que triste engano! Isso só torna duro nosso coração, blinda nossa alma à obra maravilhosa que Deus quer fazer em nós e por nós.

Muitas vezes, são justamente aqueles “pecadores medonhos” que, mesmo não tendo toda a experiência que temos do amor do Pai e de suas graças, estão mais abertos a seu chamado, pois suas feridas ainda estão sangrando, suas almas ainda clamam pela salvação. Não podemos nos acomodar na situação de filhos resgatados e amparados, como se fêssemos melhores que os outros ou menos necessitados da misericórdia e do perdão de Deus.

Somos vitoriosos, sim, somos escolhidos, mas tudo isso nos é dado pela graça. Deus não cansa de nos esperar, mesmo quando não confiamos ou quando nos debatemos para largar seus braços e deixamos de nos importar com seus benefícios.
"Se fordes dóceis e obedientes, provareis os melhores frutos da terra" (Isaías 1,19).


Maturidade


Esta virtude confere a habilidade de agir com coerência e acerto em todas as circunstâncias. Ela proporciona o desenvolvimento de outra fenomenal virtude, a sabedoria.


Maturidade é a habilidade de controlar a ira e resolver as discrepâncias sem violência ou destruição.


Maturidade é paciência; e a vontade de deixar para depois o prazer imediato em favor de um benefício a longo prazo.


Maturidade é perseverança; é a habilidade de levar um projeto ou uma situação adiante, apesar de forte oposição e retrocessos decepcionantes.


Maturidade é a capacidade de encarar desgostos e frustrações e derrotas sem queixa nem abatimento.


Maturidade é humildade; é ser suficientemente grande para dizer me enganei; e, quando está correta, a pessoa madura não necessita experimentar a satisfação de dizer: "te falei".


Maturidade é a capacidade de tomar uma decisão e mantê-la; os imaturos passam suas vidas explorando possibilidades, para, no fim, nada fazerem.


Maturidade significa confiabilidade: manter a própria palavra, superar a crise; os imaturos são os mestres da desculpa, são os confusos e desorganizados; suas vidas são uma mistura de promessas quebradas, amigos perdidos, negócios sem terminar e boas intenções que nunca se convertem em realidade.


Maturidade é a arte de viver em paz com o que é impossível mudar.


Longanimidade


Significa complacência, indulgência, benignidade, tolerância. Proporciona o desenvolvimento de uma natural disposição de ânimo para suportar, com serenidade e resignação, insultos, vexames, ofensas e contrariedades.


Longanimidade, eu preciso dela!


Eis aqui uma palavra pouco utilizada convencionalmente, mas é de extrema importância para aqueles que fazem parte do Reino de Deus. Esta palavra é a melhor tradução do grego MAKROTHUMIA, utilizado pelo apóstolo Paulo. Longanimidade é longo ânimo, é possuir longo caráter, longa coragem e longa vontade, atributos de Deus que são transferidos aos seres humanos através da comunhão com o Espírito Santo.
A longanimidade é um fruto do Espírito (Gálatas 5:20-21) e entra em ação quando as coisas não acontecem conforme planejamos, quando o pneu do carro, moto ou bicicleta fura, quando falta energia, quando algo ou alguém nos machuca e situações parecidas com esta. Ser longânimo é oferecer a face direita após levar um soco na esquerda, é amar nossos inimigos ao ponto de ajudá-los em suas dificuldades. Deus é longânimo, nós pecamos, erramos e ele não nos destrói, e ainda nos ajuda. Busquemos ao Senhor para que possamos receber d'Ele à paciência mais profunda que existe, a LONGANIMIDADE!



Jovialidade





O dom de ser alegre, bem-humorado, de rir e fazer rir, é uma qualidade indispensável para a existência da harmonia nos relacionamentos. Proporciona bem-estar e leveza de espírito. Irradia simpatia, conquista a amizade, desenvolve o ânimo.





Receita de Jovialidade de Pablo Picasso



Deita fora todos os números não essenciais à tua sobrevivência.


Isso inclui idade, peso e altura.


Deixa o médico preocupar-se com eles.


É para isso que ele é pago.


Frequenta, de preferência, amigos alegres.


Os de "baixo astral" põem-te em baixo.


Continua aprendendo...


Aprende mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa.


Não deixes o teu cérebro desocupado.


Uma mente sem uso é a oficina do diabo.


E o nome do diabo é Alzheimer.


Aprecia coisas simples.


Ri sempre, muito e alto.


Ri até perder o fôlego.


Lágrimas acontecem.


Aguenta, sofre e segue em frente.


A única pessoa que te acompanha a vida toda és tu mesmo.


Mantém-te vivo, enquanto vives!


Rodeia-te daquilo de que gostas: família, animais, lembrança, música, plantas, um hobby, o que for.


O teu lar é o teu refúgio.


Aproveita a tua saúde;


Se for boa, preserva-a.


Se está instável, melhora-a.


Se está abaixo desse nível, pede ajuda.


Não faças viagens de remorso.


Viaja para o Shopping, para a cidade vizinha, para um país estrangeiro,mas não faças viagens ao passado.


Diz a quem amas, que realmente os amas, em todas as oportunidades.


E lembra-te sempre de que:


A vida não é medida pelo número de vezes que respiraste, mas pelos momentos em que perdeste o fôlego:de tanto rir...de surpresa...de êxtase...de felicidade...





Pablo Picasso



Introspecção.




É a pedra fundamental de todas as virtudes. Graças a ela, o ser humano torna-se capaz de avaliar e transformar sua personalidade. Mergulhar no interior de si mesmo é uma condição necessária para o auto-aperfeiçoamento. Esta virtude desperta os poderes pessoais e harmoniza todo o ser.




A Introspecção é o ato pelo qual o sujeito observa os conteúdos de seus próprios estados mentais, tomando consciência dos mesmos. Dentre os possíveis conteúdos mentais passíveis de introspecção, destacam-se as crenças, as imagens mentais (sejam visuais, auditivas, olfativas, sonoras, tácteis), as intenções, as emoções e o conteúdo do pensamento em geral (conceitos, raciocínios, associações de idéias).
Há um debate contemporâneo nos campos da Epistemologia e da Filosofia da Mente acerca da natureza, das características e da validade do conhecimento gerado pela introspecção (autoconhecimento). Um exemplo de questão levantada neste âmbito é a seguinte: Na introspecção, o sujeito tem acesso direto (não mediado, não inferencial) ao objeto?


_Criatividade e Introspecção


A pessoa criativa é aquela que tem introspecção, que consegue ver coisas que nenhuma outra viu antes, que ouve coisas que ninguém ouviu antes - nela, sim, há criatividade.


Humildade


Mesmo sendo possuidor de múltiplas virtudes, o indivíduo pode ainda abarcar mais uma, a humildade. Significa modéstia, compostura, ausência de vaidade. Simplicidade na maneira de se apresentar. Comedimento na forma de referir-se a si próprio. A pessoa pode conhecer sua força e poder, e apesar disso, não precisa jactar-se perante os outros.


Humildade x Orgulho


Você já deve ter ouvido muitas vezes a palavra humildade, não é mesmo? Essa palavra é muito usada, mas nem todas as pessoas conseguem entender o seu verdadeiro significado. O termo humildade vem de húmus, palavra de origem latina que quer dizer terra fértil, rica em nutrientes e preparada para receber a semente. Assim, uma pessoa humilde está sempre disposta a aprender e deixar brotar no solo fértil da sua alma, a boa semente. A verdadeira humildade é firme, segura, sóbria, e jamais compartilha com a hipocrisia ou com a pieguice. A humildade é a mais nobre de todas as virtudes pois somente ela predispõe o seu portador, à sabedoria real. O contrário de humildade é orgulho, porque o orgulhoso nega tudo o que a humildade defende. O orgulhoso é soberbo, julga-se superior e esconde-se por trás da falsa humildade ou da tola vaidade. Alguns exemplos talvez tornem mais claras as nossas reflexões. Quando, por exemplo, uma pessoa humilde comete um erro, diz: "eu me equivoquei", pois sua intenção é de aprender, de crescer. Mas quando uma pessoa orgulhosa comete um erro, diz: "não foi minha culpa", porque se acha acima de qualquer suspeita. A pessoa humilde trabalha mais que a orgulhosa e por essa razão tem mais tempo. Uma pessoa orgulhosa está sempre "muito ocupada" para fazer o que é necessário. A pessoa humilde enfrenta qualquer dificuldade e sempre vence os problemas. A pessoa orgulhosa dá desculpas, mas não dá conta das suas obrigações e pendências. Uma pessoa humilde se compromete e realiza. Uma pessoa orgulhosa se acha perfeita. A pessoa humilde diz: "eu sou bom, porém não tão bom como eu gostaria de ser". A pessoa humilde respeita aqueles que lhe são superiores e trata de aprender algo com todos. A orgulhosa resiste àqueles que lhe são superiores e trata de pôr-lhes defeitos. O humilde sempre faz algo mais, além da sua obrigação. O orgulhoso não colabora, e sempre diz: "eu faço o meu trabalho". Uma pessoa humilde diz: "deve haver uma maneira melhor para fazer isto, e eu vou descobrir". A pessoa orgulhosa afirma: "sempre fiz assim e não vou mudar meu estilo". A pessoa humilde compartilha suas experiências com colegas e amigos, o orgulhoso as guarda para si mesmo, porque teme a concorrência. A pessoa orgulhosa não aceita críticas, a humilde está sempre disposta a ouvir todas as opiniões e a reter as melhores. Quem é humilde cresce sempre, quem é orgulhoso fica estagnado, iludido na falsa posição de superioridade. O orgulhoso se diz céptico, por achar que não pode haver nada no universo que ele desconheça, o humilde reverencia ao criador, todos os dias, porque sabe que há muitas verdades que ainda desconhece. Uma pessoa humilde defende as idéias que julga nobres, sem se importar de quem elas venham. A pessoa orgulhosa defende sempre suas idéias, não porque acredite nelas, mas porque são suas. Enfim, como se pode perceber, o orgulho é grilhão que impede a evolução das criaturas, a humildade é chave que abre as portas da perfeição.


...................... Você sabe por quê o mar é tão grande? Tão imenso? Tão poderoso? É porque foi humilde o bastante para colocar-se alguns centímetros abaixo de todos os rios. Sabendo receber, tornou-se grande. Se quisesse ser o primeiro, se quisesse ficar acima de todos os rios, não seria mar, seria uma ilha. E certamente estaria isolado


Honestidade


Este dom suscita a necessária confiança entre as pessoas. Em todos os atos da vida, a citada qualidade deve estar sempre presente. Por outro lado, sua carência provoca as mais nefastas conseqüências.


Generosidade.


Significa desprendimento, liberalidade, altruísmo. A pessoa dotada desta virtude aprecia verdadeiramente os outros, e presta a ajuda necessária sem esperar nada em troca. Ela também promove o fortalecimento das relações, a paz no contexto social.


A generosidade é o antídoto da avareza.


É o melhor investimento contra a pobreza emocional e material futura. Por meio da generosidade nos abrimos para a vida, perdemos o medo de nos comunicar.Desenvolver a habilidade de sermos generosos é um ato de grande auto-estima.Durante uma sessão de psicoterapia, uma paciente me perguntou nervosa: Mas, afinal de contas, o que é generosidade?. No impulso respondi: É a disponibilidade que temos de compartilhar nossa abundância. Então, com um tom de voz frustrado, ela me disse: Se eu estou sempre na falta, nunca vou poder ser generosa?. Então, conclui: Bom, só podemos dar o que temos, senão seria como fazer milagres com o santo do outro.


Mas não medimos nossa generosidade por nossas posses, mas pela disponibilidade de compartilhá-las. Existe um limite para a generosidade, já que, em termos concretos, não podemos oferecer tudo. No entanto, internamente, devemos, sem hesitação, estar sempre abertos a doar. Nós temos sempre algo para oferecer aos outros, mesmo que estejamos nos sentindo carentes.Lama Zopa Rinpoche quando nos visitou em São Paulo, ficou impressionado com a quantidade de crianças carentes pedindo esmola na rua. Então, ele me disse: Em geral dizemos para os pedintes: ‘Desculpe, eu não tenho nada para te dar’. Seria melhor sorrir e se calar mantendo internamente um estado de querer oferecer alguma coisa, mesmo que concretamente você não lhe dê nada. Se você desejar que ele possa sair do sofrimento, já estará lhe oferecendo algo de positivo.


A prática de dar e receber ao mesmo tempo, a disponibilidade interna de oferecer algo está totalmente ligada à nossa auto-imagem. Na realidade, nós vivemos muitos conflitos em torno da prática de dar e receber. Muitas pessoas preferem dar a receber; outras, ao contrário, preferem receber e acham que nunca têm nada para oferecer. Quando nos alegramos verdadeiramente com algo que recebemos ou quando alguém está de fato feliz em nos oferecer alguma coisa, uma energia muito particular de alegria intensa é gerada. Por quê? Porque neste momento dar e receber ocorrem simultaneamente. São poucas as vezes que isso, de fato, acontece.

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?