A depressão Masculina



A depressão Masculina
É um tema menos falado do que a feminina porque os homens são resistentes em tocar nos seus problemas e tendem a mascarar a depressão por uma série de caminhos. Por exemplo, um homem deprimido diz que está com deficit de memória. Outro diz que está com insônia. Sabe-se que deficit de memória, raciocínio lento, insônia, etc, são todos sintomas de depressão e, só pelo preconceito masculino, ele prefere dizê-la assim. Outros, claro, por desconhecimento e falta de contato com seu self. Mas, o mascaramento forma, sem dúvida, um índice alto e é preciso que os homens tomem contato com isso. Outros sintomas da depressão masculina e feminina também ficam por conta de embotamento emocional, falta de interesse por afetos (filhos, amigos, mulheres), falta de interesse pelo trabalho, apatia geral, perda da libido, alterações do apetite (para mais ou para menos), sonolência excessiva, cansaço geral, etc.

A depressão tem, geralmente, e como primeiro sinalizador, uma tristeza infinda e até este sintoma, os homens costumam mascarar (a tristeza é feminina no conceito masculino) e, então, eles a transformam numa raiva e irritação crônica que acaba confundindo os profissionais menos desavisados. As mulheres são mais afetivas e buscam se curar da tristeza procurando afetos substitutos — amigas, trabalhos assistenciais, trabalhos manuais — cestaria, tecelagem, pintura, etc; já os homens se isolam de todos e tendem a agir com agressividade.

E as causas da depressão? A depressão tem causas existenciais e funcionais. Dentre as funcionais, os neurotransmissores — serotonina, norepinefrina, dopamina e outros tem um bom peso. Neurotransmissores são substancias que carregam os impulsos nervosos de um neurônio para outro, fazendo as conexões. Se, por alguma irregularidade, genética ou não, os neurotransmissores sofrem qualquer abalo pode aparecer a depressão ou outro problema psicológico.

Hoje, sabe-se que a queda de neurotransmissores no organismo pode ser provocada também por estados constantes e desfavoráveis de vida — desapoio, desconsiderações, desconfirmações assíduas e perenes — podem abalar profundamente nosso estado de alma. Então, a postura mais exata atual é afirmar que a psique influi em nosso corpo e nosso corpo influi em nossa psique.

Na depressão masculina, vê-se também um grande contingente de homens recorrendo ao álcool para camuflar a tristeza; só que seu uso constante só faz agravar os sintomas do mal. Outros recorrem ao fumo, às drogas, a noitadas fora de casa com amigos, ao sexo compulsivo.

A depressão, por um motivo ou outro, tem que ser tratada. Há um risco de 15% de suicídios nas depressões não tratadas (principalmente nos homens). Fora deste encaminhamento extremado, sabe-se também que a depressão masculina favorece mais do que o dobro de chances do homem desenvolver doenças cardíacas, câncer, diabetes e outras doenças, além de provocar um envelhecimento masculino mais acelerado e uma deficiência de testosterona.

Vale ressaltar, finalmente, para os homens que a depressão não é sinal de fraqueza ( que em nossa cultura ainda é proibitiva aos homens) , mas que sim, trata-se de um problema para o qual há tratamento e atendimento. Isolar-se é o pior.

Fonte: Onete Ramos Santiago,
Psicóloga
contatos: oneters@matrix.com.br

Nenhum comentário

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?