Um universo de Surpresas













Apenas alguns séculos atrás, os cientistas acreditavam que o Universo inteiro estava contido em nossa galáxia, a Via-Láctea. No entanto, no século 20, os proncipais avanços na Astronomia, na Física e na tecnologia revelaram as assombrosas dimensões do cosmo. Algumas dessas descobertas também revelaram como o conhecimento humano é limitado. Por exemplo, em décadas recentes, os astrônomos chegaram a conclusão de que não sabem do que é feito 90% do Universo. Além disso, depois dessas descobertas, os cientistas passaram a questionar seu entendimento dos fundamentos da própria Física. É claro que esse questionamento não é nada novo.



Por exemplo, perto do fim do século 19, os físicos perceberam algo estranho sobre a velocidade da luz. Concluíram que, em relação a um observador, a luz sempre viajava á mesma velocidade não importa quão rápido observador tivesse se movendo. Mas isso não parecia fazer sentido. O problema foi analisado em 1905 na Teoria Especial da Relatividade de Albert Einstein, que mostrou que distância (comprimento), tempo e massa não são absolutos. Então, em 1907, Einstein teve uma nova idéia que descreveu como "o pensamento mais feliz de minha vida", e começou a desenvolver a sua Teoria Geral da Relatividade, publicada em 1916. Nesse trabalho revolucionário, ele estabeleceu uma relação entre gravidade, espaço e tempo, e aperfeiçoou as explicações de Isacc Newton sobre a Física.



O universo em expansão



Baseado nas evidências existentes na época, Einstein acreditava que o Universo era estático - não se expande nem se retrai. Mas, em 1929, Edwin Hubble, astrônomo americano, apresentou evidências de que o Universo está em expansão.



Hubble também esclareceu um antigo mistério sobre manchas luminosas difusas no céu noturno, que receberam o nome de nebulosas porque pareciam nuvens de gás. Mas será que todas essas nebulosas estavam em nossa galáxia? Ou estavam fora dela, como havia sugerido o astrônomo britânico Sir William Herschel (1738-1822) mais de um século antes?



Hubble começou calculando a distância até a Grande Nebulosa, na constelação de Andrômeda, e concluiu que ela era na verdade uma galáxia a milhões de ano-luz. Isso a posiciona bem longe da Via-Láctea, cujo diâmetro é de "apenas" 100 mil anos-luz. À medida que Hubble calculava as distâncias de outras nebulosas, começou a desvendar as assombrosas dimensões do cosmo e provocou uma revolução na astronomia e na cosmologia.



Pouco tempo depois, Hubble costatou que o Universo está se expandindo, pois viu que galáxias distantes estavam se afastando da Terra. Também percebeu que quanto mais longe estiver a galáxia, mais rápido ela se afasta. Essas observações dão a entender que o Universo de ontem era menor do que o de hoje. Quando Hubble publicou seu trabalho inovador em 1929, abriu caminho para o desenvolvimento da teoria do big bang ( grande explosão ), que alega que o Universo se originou de uma grande explosão cósmica aproximadamente 13 bilhões de anos atrás. Mas o quadro ainda está incompleto.




Qual a velocidade da expansão?




Desde os dias de Hubble, astrônomos tentam medir com a maior precisão possível a velocidade de expansão do Universo, chamada "constante de Hubble". Por que possibilitaria calcular a idade do Universo. Além disso, a velocidade da expansão poderia trazer sérias implicações no futuro. Como assim? Por exemplo, acredita-se que, se o Universo estiver se expandindo de forma lenta demais, a gravidade poderia ficar tão forte que causaria um colapso total, culminando num "big crunch" ( grande esmagamento). Mas se a expansão estiver num ritmo muito acelerado, o Universo poderia continuar se expandindo para sempre e se dissipar por completo.


Ao passo que cálculos mais precisos têm fornecido algumas respostas, surgem outras perguntas que põem em dúvida nossa compreensão atual da matéria e das forças fundamentais da natureza.



Olhe para o céu e humilhe-se









Quando um servo de Deus no passado olhou para o alto numa noite clara e de céu limpo, ficou cheio de admiração. No salmo 8:3, 4, lemos suas palavras: "Quando vejo os teus céus, trabalhos dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste, que é o homem mortal para que te lembres dele, e o filho do homem terreno para que tomes conta dele: "Se o salmista ficou deslumbrado e não tinha telescópio nem câmeras especias, que dizer de nós hoje?




Energia escura e matéria escura






Em 1998, ao analisarem a luz de um tipo especial de supernova, ou estrela esplosiva, pesquisadores descobriram evidências de que a velocidade da expansão do Universo está na verdade aumentando. No início, os cientistas estavam descrentes, mas logo surgiram mais evidências. É claro que eles queriam saber que tipo de energia provocava essa aceleração, visto que ela parecia trabalhar em sentido contrário à gravidade e não se armoniza com as teorias da época. Essa forma misteriosa de energia, apropriadamente chamada energia escura, talvez componha cerca de 75% do Universo.



Mas a energia escura não é o único fenômeno estranho descoberto em tempos recentes. Outro foi confirmado na década de 80, quando astrônomos estudaram várias galáxias. Essas galáxias, assim como a nossa, pareciam estar agindo rápido demais para permanecer intactas. Assim, ficou evidente que alguma matéria devia esta fornecendo a necessária coesão gravitacional para elas. Mas que tipo de matéria? Por não terem a menor idéia cientistas criaram o nome "matéria escura", visto que ela não absorve, não emite nem reflete quantidades detectáveis de radiação.*



Quanta dessa matéria escura existe? Cálculos indicam que ela poderia constituir 22% ou mais de massa do Universo.



Analise o seguinte: de acordo com estimativas atuais, a matéria ordinária representa cerca de 4% da massa do Universo. A matéria escura e energia escura correspondem o restante. Em outras palavras, 96% do Universo permanece um grande mistério!#






Uma busca sem fim






A ciência está em busca de repostas, mas uma série de respostas geralmente leva a outra série de respostas geralmente leva a outra série de perguntas. Esse fato nos faz lembrar da profunda declaração registrada na Bíblia em Eclesiastes 3:11: "Tudo [Deus] fez bonito no seu tempo. Pôs até mesmo tempo indefinido no seu coração, para que a humanidade nunca descobrisse o trabalho que o verdadeiro Deus tem feito do começo ao fim".



Hoje o limitado conhecimento que temos se deve à curta duração da vida humana, e muito desse conhecimento é especulativo, sujeito a mudanças. Mas essa situação é temporária, porque Deus prometeu dar a humanos fiéis vida eterna no Paraíso na Terra, onde poderão estudar os trabalhos Dele para sempre e assim ter um conhecimento verdadeiro. - Salmo: 37:11, 29 Lucas 23:43.



Portanto, não precisamos temer especulações trágicas sobre o Universo. Afinal, a ciência apenas arranhou a superfície da realidade, ao passo que o Criador sabe tudo. - Revelação (Apocalipse) 4:11.






______


* A matéria escura foi postulada na década de 30 e confirmada na década de 80. Hoje, os astrônomos medem quanta matéria escura existe num aglomerado de galáxias por observar como ela desvia a luz provinda de objetos mais distantes.


#O ano de 2009 foi escolhido como "Ano Internacional da Astronomia", e marca o 400 aniversário do primeiro uso do telescópio astronômico da Galileu Galilei.



Nenhum comentário

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?