As virtudes humanas_Autoconfiança


A estrutura da personalidade compreende, entre outros elementos psicológicos, um conjunto de virtudes que tornam o indivíduo mais elevado, íntegro, humanitário. Uma virtude representa retidão moral, probidade, excelência moral. As pessoas podem ser avaliadas pela riqueza de suas virtudes.

De forma sucinta, vamos apreciar algumas dessas virtudes. No decorrer da empreitada, poderemos observar que elas quase sempre caminham juntas, raramente apresentam-se isoladas.


Autoconfiança.


Esta virtude pode ser conquistada mediante o desenvolvimento de recursos e habilidades que proporcionam competência, segurança e tranqüilidade no decurso da vida. A pessoa autoconfiante é prudente e equilibrada, de tal sorte que procura agir sempre com cautela. Pelo fato de possuir imensa fé em si, ela sabe que pode contar consigo mesma, em situações as mais adversas.
Uma pessoa realmente autoconfiante se torna, também, uma pessoa arrogante...?
O desenvolvimento da autoconfiança começa na infância.
Uma educação autoritária dada pelos pais pode resultar em filhos inseguros e despreparados para assumir responsabilidades. Pais que permitem que as crianças expressem suas próprias opiniões e desejos estimulam o desenvolvimento da capacidade de decidir com confiança.
A autoconfiança é extremamente volátil. No decorrer da vida, nossas experiências vão arquivando monstros em nossa mente que podem minar a autoconfiança. Rejeições, perdas, conflitos, crises e erros, podem mudar a nossa vida de acordo. Há pessoas que não se levantaram mais depois de alguma derrota. Outras perderam a esperança depois de sofrerem várias perdas. Alguns jovens tornaram-se inseguros devido sofrerem humilhação pública pelo fato de não terem uma aparência segundo os padrões da mídia. Uma decepção pode tornar-se um desastre emocional.
Insegurança - As sensações de segurança e de insegurança fazem parte da constituição do psiquismo e vai depender das vivências de satisfação e frustração que o bebê recebe ainda no ventre da mãe e das cargas emocionais que tem relação com o meio-ambiente. A mãe passa a insegurança para o bebê muito antes de ele nascer. Quem sabe se a mãe não atendeu a criança como devia, deixando-a sob ameaça de maus cuidados, e a criança se sentiu insegura, mal cuidada, mal amada.
Na infância a criança sente-se responsável pelas frustrações que sofreu. Afinal, toda criança é auto-referente, julga-se culpada e isto fica registrado em seu inconsciente que, com o passar dos anos, vai ser desenvolvido nos acontecimentos de sua vida, gerando insatisfações, insegurança, medos e muitos outros sintomas emocionais.
Se a criança foi mais satisfeita do que frustrada, ela vai ter as inseguranças comuns de todos, algumas delas até saudáveis, como, por exemplo, o medo diante de situações reais de perigo.
Porém, se a criança foi mais frustrada do que satisfeita, vai se sentir ameaçada, vai sentir que não tem aquilo que lhe satisfaz porque não mereçe.
A fase gestacional é a mais importante da vida do ser humano. É daí que vêm todas as sensações emocionais, todos os equilíbrios e os desequilíbrios que se desenvolverão no decorrer dos anos de sua existência.
A sensação de estar sob ameaça constante se chama insegurança. A insegurança emocional nem sempre reflete a realidade. Ela se caracteriza por um sentimento de inferioridade, de quem não se acha digno de ser amado(a), de que não é possível que alguém ame uma pessoa tão comum e sem atrativos. Por não acreditar em si mesmo, a pessoa insegura tem a impressão ser incapaz.

Nenhum comentário

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?