Fique ligado!

***
O Alienista

(Machado de Assis)
 
Simão Bacamarte é o protagonista, médico conceituado em Portugal e na Espanha, decide enveredar-se pelo campo da psiquiatria e inicia um estudo sobre a loucura e seus graus, classificando-os. Funda a Casa Verde, um hospício na vila de Itaguaí e abastece-o de cobais humanas. Passa a internar todas as pessoas da cidade que ele julgue loucas; o vaidoso, o bajulador, a supersticiosa, a indecisa etc. Costa, rapaz pródigo que dissipou seus bens em empréstimos infelizes, foi preso por mentecapto. A tia de Costa que intercedeu pelo sobrinho também foi trancafiada. O mesmo acontece com o poeta Martim Brito, amante das metáforas, internado por que se referiu ao Marquês de Pombal como o dragão aspérrimo do Nada. Nem D. Evarista, esposa do Alienista escapou: indecisa entre ir a uma festa com o colar de granada ou o de safira. O boticário,os inocentes aficcionados em enigmas e charadas, todos eram loucos. No começo a vila de Itaguaí aplaudiu a atuação do Alienista, mas os exageros de Simão Bacamarte ocasionaram um motim popular, a rebelião das canjicas, liderados pelo ambicioso barbeiro Porfírio. Porfírio acaba vitorioso mas em seguida compreende a necessidade da Casa Verde e alia-se a Simão Bacamarte. Há uma intervenção militar e os revoltosos são trancafiados no hospício e o alienista recupera seu pretígio. Entretanto Simão Bacamarte chega á conclusão de que quatro quintos da população internada eram casos a repensar. Inverte o critério de reclusão psiquiátrico e recolhe a minoria: os simples, os leais, os desprendidos e os sinceros.


O alienista contudo, imbuído de seu rigor científico percebe que os germes do desequilíbrio prosperam porque já estavem latentes em todos. Analisando bem, Bacamarte verifica que ele próprio é o único sadio e reto. Por isso o sábio internou-se no casarão da Casa Verde, onde morreu dezessete meses depois, apesar do boato de que ele seria o único louco de Itaguaí, recebeu honras póstumas.


Machado de Assis: a linguagem pensante
 
 
Machado de Assis foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, da qual foi aclamado presidente perpétuo. Atualmente, à entrada da nova sede da academia há uma estátua de bronze do escritor. Em sua homenagem, a academia chama-se também Casa de Machado de Assis.
 

Herói problemático

É a partir da Realismo, principalmente, que começa a ter maior presença na literatura a figura do herói problemático, o tipo de herói que predomina na literatura atual. Diferente do herói romanesco - aquele cuja força e coragem superam as das pessoas comuns -, o herói problemático normalmente é o ser humano na sua pequenez, cheio de fraquezas, manias e incertezas diante de um mundo no qual se sente deslocado.
As personagens feitas pelo ator Woody Allen são o melhor exemplo desse tipo de herói, no cinema: baixo, feio, problemático e em crise diante dos valores socias.

Cena do filme Poderosa 
Afrodite, de Woody allen.

A um poeta

***
Tu, que dormes, espírito sereno,
Posto à sombra dos cedros seculares,
Como um levita à sombra dos altares,
Longe da luta e do fragor terreno,

Acorda! é tempo! O sol, já alto e pleno,
Afungentou as larvas tumulares...
Para surgir do seio desses mares,
Um mundo novo espera só um aceno...

Escuta! é a grande voz das multidões,
São teus irmãos, que se erguem! são
                                      [canções...
Mas de guerra...e são vozes de rebate!

Ergue-te, pois, soldado do Futuro
E dos raios de luz do sonho puro,
Sonhador, faze espada de combate!

                                             cedros: árvores de grande porte.
                                             levita: sacerdote da antiga Jerusalém.
                       

Antero de Quental: a eterna procura


Antero de Quental (1843-1891) foi o líder intelectual da geração que deu ínicio ao Realismo em portugal. Seus primeiros poemas, publicados em 1861, revelam tendências místicas.Os poemas publicados logo  depois já mostram uma evolução para os racionalistas e radicalismo político.

Zôo



Uma cascavel, nas encolhas*. Sua massa infame.
Crime: prenderam, na gaiola da cascavel, um ratinho branco . O pobrinho se cumprime num dos cantos do alto da parede de tela, no lugar mais longe que pôde. Olha para fora, transido, arrepiado, não ousando choramingar. Periodicamente, treme. A cobra ainda dorme.
                                                
                                                     *
Meu Deus, que pelo menos a morte do ratinho branco seja instantânea!

                                                     *
Tenho de subornar um guarda, para que liberte o ratinho da jaula da cascavel. Talvez ainda não seja tarde.

                                                     *
Mas, ainda que eu salve o ratinho branco, outro terá de morrer em seu lugar. E, deste outro, tarei sido eu o culpado.

                                                                        (*) nas encolhas = retraída, imóvel
(Fragmentos estraídos de Ave, palavra, de Guimarães Rosa)
                                                                   

"Chip" da Bondade




  Alguns cientistas já se preocuparam em garantir que os robôs do futuro tragam em seus progamas, em todos eles, um "chip" da bondade que os impeça de fazer mal aos homens, assumindo, assim, que não será possível sequer desligá-lo. Talvez estejam sonhando, como pensam alguns.Talves não.




 
Lembremos: quando um dos primeiros computadores do mundo, o Eniac, foi poduzindo em 1946, a revista Popular Mechanics escreveu que a nova maravilha eletrônica tinha 18 mil válvulas e pesava 30 toneladas, fazendo o que pareceu, na época, uma previsão treslocada: "Os computadores do futuro talvez usem apenas mil válvulas e pesem em torno de uma tonelada." Hoje, um computador bem mais poderoso do que o Eniac cabe no bolso da camisa.


Este fato autoriza a reiteração da dúvida: estarão os cientistas sonhando? Talvez sim. Talvez não.

Vossa Insolência


Sempre que se agita essas questões das reivindicações femininas, escovam-se os velhos chavões e, com grande ar de importância, os filósofos decidem sem apelação que a mulher não pode ser mais que anjo do lar, a vestal encarregada de vigiar o fogo sagrado, a depositaria das tradições da família... e das chaves da despensa. Todo esse despêndio de palavras inúteis serve apenas para encobrir a fealdade da única razão séria que podemos apresentar contra as pretenções das mulheres: o nosso egoísmo, o receio que temos de que nos despojem das nossas perrogativas seculares_ o medo de perder as posições, as regalias, as honras que o preconceito bárbaro confiou exclusivamente ao nosso século. Compreende-se quem se habituou a empenhar o bastão do comando não se resigna facilmente a passá-lo a outras mãos: é mais fácil deixar a vida do que deixar o poder.

(18/08/1901)

(BILAC,Olavo Vossa Insolência. São Paulo
Cia, das letras, 1997, p.313)

Eu

Amar a si mesmo não deve ser visto como egoísmo que é, na verdade, a incapacidade de amar.

Na verdade, egoísmo é a imcapacidade de amar. É um bloqueio severo na afetividade. O amor próprio é uma necessidade do ser humano, que deve ser desenvolvida desde muito cedo na relação da criança com seu meio familiar. Nos primeiros momentos de vida da criança, os pais atuam como espelhos que devolvem determinadas imagens ao filho. Antes de adquirir qualquer noção sobre si mesma, a criança sente a precepção que os outros têm dela. Nesse momento, ela se percebe no reflexo do rosto da mãe, sobretudo no seu olhar. Aos poucos esse olhar vai definir o valor que a criança se dará ao longo da vida. Quanto mais alto for esse valor, mas tranquilamente poderá desevolver o amor próprio. Essas primeiras experiências que o ser humano vivencia geram forte senso de valor ou desvalorização.


Desde os primeiros anos

Mas, a criança somente se sente valorizada na medida em que é valorizada pelo olhar dos pais. Por isso podemos afirmar que somente crescemos na medida em que, sendo amados, aprendemos que somos dignos e capazes de amar a nós mesmos.

A incapacidade de amar faz com que o individuo, em sua busca do último recurso para se manter vivo diante da dor, se feche, se centralize em si mesmo. Isso significa que ele so consegue ver, agir, pensar, fazer e viver em função de si mesmo. 
Tudo tem que girar em torno dele(a), porque só encherga a si, age so pra si, pensa so em si, vivem como se existissem apenas seus desejos, necessidades, pensamentos e maneira de ver o mundo. Se você tiver a sorte de ser interessante para ele(a), possivelmente o perceberá, mas nunca se esqueça que o real motivo será sempre o de se satisfazer.

Enfim, o egoísta se coloca no lugar do amor. Em vez de tudo e todos girarem em torno do amor, o egoísta vive como se o mundo devesse girar em torno dele. "Já que não posso amar e ser amado, serei o amor! Esse é o aforismo do egoísta, sua racionalização para ocupar indevidamente o lugar do amor.

Para o egoísta é mais importante o que ele pensa, sente e deseja. Não tem relevancia o que o pai, os irmãos pensam e amigos pensam. A tristeza, a alegria, a dor que o outro sente não lhe faz a mínima diferença. È a politica do "não-tô-nem-aí". O Outro que se vire. 
O sutil perigo é que a sociedade confude esse comportamento com a atitude de "amar a si mesmo".


Por outro lado, quem é capaz de se amar não se aliena e quem ama a si mesmo vive para o outro. O ser humano existe na medida em que o amor do outro o valoriza, formando assim um círculo virtuoso.
 



O problema não é ser golpeado pela angústia, mas o que fazer com ela.
A questão é sobreviver com dignidade, não machucando os outros nem se autopunindo.



Ferramentas para proteger a emoção:

Protegendo a mente para não se deprimir;
Protegendo contra o sentimento de culpa.

1. Doar-se sem esperar muito do outro;
2. compreender o outro na sua dimensão interior;
3.Ninguém pode dar o que não tem.


Provisoriamente não cantaremos o amor
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os braços,
não cantaremos o ódio porque esse não existe,
existe apenas o medo, o nossso pai e nosso companheiro,

.................................................................................

Drummond

Porque a vontade de Deus não esta sendo feita na terra?

"Sorria se puder"

Paciente:
Doutor, estou tão traumatizado com a violência que resolvi procurar o senhor para me tratar! É assalto, terremoto, inundação, corrupção...

Doutor:
Er... só um instantinho:


Problemas relacionados à violência, têm taxa de 50% de acréscimo...
Você tem " bala na agulha"?

Vamos falar de amor_ F5

 
"Ser feliz não é apenas
resumir a nossa vida em
bons momentos.
Ser feliz é admirar a
natureza.
Descobrir a beleza de
uma flor.
É também curtir a vida
ao lado de pessoas
que nos amam.

Tempos Dificéis

Quando o Reino de Deus virá?

Jesus ensinou que o começo do seu domínio régio coincidiria com um período específico que ele chamou de sua "presença". Jesus deu uma profecia detalhada para indicar quando sua presença em poder régio teria ínício.
Esse período seria marcado por problemas globais, incluindo guerras, fomes, terremotos, doenças e aumento da violação da lei. (Mateus 24:3, 7-12; Lucas 21:10,11).





Essas e muitas outras características preditas por Jesus ficariam evidentes especialmente a partir de 1914, o ano em que começou a Primeira Guerra Mundial. Assim, Jesus está reinando agora. Em breve chegará o tempo em que o Reino virá e fará com que a vontade de Deus seja feita na terra.














O que o vindouro Reino de Deus significará prar você pessoalmente? Isto vai depender de como você reagir à  mensagem de Jesus.

A Paixão de Cristo

Jesus
deu a vida por muitos
Porque ele precisou fazer isso?
O que você deve fazer para ser beneficiado?

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?