A segunda desculpa mais utilizada por aqueles que estão fora de forma – depois da falta de tempo – é a falta de dinheiro. Dizem que academia é muito caro, que praticar esportes não é para qualquer um, etc.



Na verdade, não é preciso absolutamente nenhum equipamento para entrar em forma. Mesmo quem não tem um par de tênis pode manter os exercícios em dia e assim contribuir enormemente para uma vida saudável e de maior qualidade.

Vamos supor que você seja realmente quebrado, que não tem dinheiro nem para os sapatos. Pode começar caminhando, seja lá onde for: numa pista de cooper, na praia, nas ruas, nas calçadas, no gramado, no piso do seu edifício. Caminhar e correr são dois dos melhores exercícios já criados para deixar o sistema cardiorrespiratório em dia, além de ajudar a queimar gorduras.

O ideal é você praticar a caminhada dois dias e descansar um. Depois é só ir repetindo os ciclos. Comece devagar, até pegar ritmo e resistência. Depois vá aumentando tempo e/ou velocidade para que seja sempre um exercício desafiador, que está melhorando o seu corpo. O tempo ideal vai de 30 a 60 minutos.

Ainda sem nenhum equipamento, você pode fazer exercícios que ajudam a ganhar músculos e resistência:


Flexão de braço ou marinheiro


Agachamentos livres


Abdominais


Polichinelos


Alongamentos


Exercícios de yoga


Se houver disponível um parque, é possível também fazer barras, paralelas, argolas etc. Não é preciso pagar uma academia caríssima. Esses exercícios, se feitos com regularidade, são suficientes para deixar a saúde em dia e o corpo em forma. As orientações para os exercícios podem ser encontradas na internet, também de graça.

Para a parte aeróbica, a corrida e caminhada são tão eficientes quanto esteira, bicicletas ergométricas, aulas de aeróbica e natação. A diferença aqui é que você vai estar gastando muito menos.

Já para os exercícios de força, o único contra dos exercícios livres que citamos é que, com o tempo, seu corpo se acostumará aos estímulos e ao peso. Então, se o objetivo é fazer os músculos crescerem, eles não serão tão eficientes quanto os praticados em uma academia. Porém, se o objetivo é apenas manter os músculos sem flacidez, eles são mais do que suficientes.


Que tal entrar em forma sem gastar um real?

foto do dia 6/08/2010

Veja como cada parte de seu corpo beneficia-se com o exercício!



Cérebro:

Proporciona sensação de bem estar. Melhora a auto-estima. Reduz sintomas depressivos e ansiosos. Melhora o controle do apetite.





Como funciona: A atividade física estimula a liberação de substâncias que "melhoram" o funcionamento do sistema nervoso central.





Nariz e Garganta:

Reduz a ocorrências de gripes, resfriados e infecções respiratórias em geral.



Como funciona: A atividade física estimula a produção de alguns aminoácidos (componentes das proteínas) que melhoram a ação protetora do sistema imunológico.



Exercício: Costa



Pulmões:

Melhora a capacidade pulmonar. Aumenta a capacidade de consumo de oxigênio.



Como funciona: A atividade física aumenta a rede de pequenos vasos que irrigam os alvéolos pulmonares (estruturas de troca de gases), melhorando o aproveitamento de oxigênio pelo pulmão. Desse modo, a respiração fica mais eficiente.





Coração:

Melhora o funcionamento do coração (para um mesmo esforço, o trabalho cardíaco passa a ser menor). Aumenta a resistência aos esforços físicos e ao estresse Reduz doenças cardíacas (angina, infarto, arritmias, insuficiência etc.). Aumenta a sobrevida até mesmo nas pessoas que já tiveram um infarto.



Como funciona: Estimula uma melhor vascularização (aumento da irrigação de sangue para o próprio coração), o que garante melhor funcionamento do órgão. Reduz fatores de risco para artérias coronárias - como pressão arterial e colesterol.





Barriga:

Facilita a perda de peso ou a manutenção do peso desejado Combate a obesidade.



Como funciona: Reduz a gordura e aumenta a massa muscular. O músculo é um tecido muito ativo, que ajuda no maior consumo de calorias ao longo do dia.





Pâncreas:

Facilita o controle do diabetes.



Como funciona: Diminui a resistência à ação da insulina ( hormônio que facilita a entrada de glicose nas células), favorecendo um melhor controle dos níveis de açúcar no sangue.


Exercício: Pernas



Pernas:

Diminui edemas, varizes e o risco de trombose.



Como funciona: Aumenta a pressão dos músculos sobre as veias das pernas. Funciona como uma espécie de bomba, que ajuda o sangue a vencer a força da gravidade e voltar mais facilmente para o coração.





Vasos Sangüíneos:

Reduz obstruções nas paredes dos vasos, diminuindo problemas como aterosclerose (placas de gordura), " derrames cerebrais" e infartos.



Como funciona: Reduz as taxas de colesterol total e eleva o HDL (colesterol "bom"), que protege contra a formação de placas de gordura nas artérias. Combate a hipertensão, reduzindo os níveis de pressão arterial.





Músculos:

Fortalece a massa muscular. Aumenta a flexibilidade.



Como funciona: A atividade estimula o desenvolvimento das fibras musculares que compõem os diversos músculos do corpo.





Ossos:

Reduz os riscos de osteoporose (enfraquecimento dos ossos) e fraturas na velhice



Como funciona: Estimula a proliferação dos chamados osteoblastos (células que contribuem para o crescimento do tecido ósseo).

Cuidando do Corpo

foto: 19/12/2009

É importante pensar  e analisar como andam os cuidados com o seu próprio corpo e com a sua alimentação. A valorização de si mesmo é algo necessário ao ser humano e deve ser respeitada sempre como forma de alto-estima e cuidado com o corpo.




Uma boa alimentação é essencial para quem quer estar sempre de bem com a vida e viver sempre saudável. Ela não é considerada como uma dieta drástica, mas, um novo processo de aprendizagem alimentar. Esse processo é feito através de específicas orientações nutricionais onde o paciente aprende a se alimentar melhor e introduz nos seus hábitos alimentares comidas que são consideradas saudáveis. É um processo de caráter tratamentoso e não preventivo, pois quando o tratamento é correto, as pessoas tendem a levar esse tipo de alimentação para o resto de suas vidas.



Aplica-se esse método em pessoas que estão dispostas a mudar e que possuem hábitos alimentares totalmente incorretos. Os mesmos aprendem que o ato de se alimentar corretamente está ligado a fatores que são mais qualitativos do que quantitativos. Isso quer dizer que pessoas que fazem uma reeducação alimentar aprendem que a ingestão de alimentos deve apresentar mais qualidade e não quantidade.



O carboidrato é o grande problema da alimentação do século XXI. O carboidrato de índice glicêmico elevado é aquele que, quando ingerido, começa a alterar rapidamente a concentração de glicose no sangue. Quando mais rápido a concentração de glicose no sangue é alterada, maior é o índice glicêmico desse carboidrato. Dentre os alimentos que possuem um alto índice glicêmico encontramos: açúcar refinado, trigo, batata, cenoura, etc. Hoje, considera-se mais importante a informação desse índice glicêmico do que o valor calórico.





A reeducação alimentar prepara a pessoa para uma qualidade de vida muito melhor. Nesse processo, primeiramente é necessário conhecer como está a reserva biológica do individuo, ou seja, sua saúde para saber se a pessoa está preparada para se submeter ao programa que pressupõe uma dieta de ausência de carboidrato. No momento em que o carboidrato é zerado, o nível de insulina do sangue fica zerado igualmente não liberando-a para o sangue. Nessas condições, a queima de gordura é permanente. A intenção disso é reprogramar o organismo.



Mals hábitos não são fáceis de serem concertados, mas isso não quer dizer que seja impossível então, procure orientação médica, faça um esforço e reeduque a sua alimentação.



Reeducação alimentar faz bem a qualquer um e ainda por cima ajuda a perder alguns quilinhos.



As dicas básicas são:


• Beber de 2 a 3 litros de água por dia

• Fazer em média 6 refeições durante o dia, mas em pequenas quantidades

• Tomar sucos naturais ao invés de refrigerantes

• Comer alimentos fibrosos

• Evitar excessos de carboidratos e frituras

• Preferir carnes magras como: frango e peixes

• Mastigar bem os alimentos ingeridos

• Comer frutas

• Fazer exercícios físicos

• Cuidar da mente e do coração





Os vídeos a baixo são do programa Alternativa Saúde da GNT e mostra a entrevista com o nutrólogo Dr. Alexandre Merheb, que explica o que é a reeducação alimentar e dá dicas de como uma pessoa pode viver melhor depois de aplicar esse método em sues hábitos alimentares.





Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?