7 pecados do Capital_ O fetichismo


O fetichismo


As figuras públicas vivem o drama da captura do sujeito pela imagem.

Alguns como xuxa, Ronaldinho...entre outros. O drama individual desses personagens exibidos/explorados até o caroço pela mídia imprensa e eletrônica, corresponde a um outro drama, este vivido em massa, pelos consumidores de imagens contemporâneas.


Em plena cultura do individualismo, da independencia pessoal e da liberdade, vive-se uma espécie de mais alienação, de rendição absoluta ao brilho, não exatamente dos objetos, mas das imagens dos objetos.


Nesta "sociedade do espetáculo(...) a mídia estrutura antecipadamente nossa percepção da realidade, e a torna indescernivél de sua imagem esteticizada".

A mídia produz os sujeitos que a sociedade necessita, prontos para receber a seus apelos de consumo sem nenhum conflito. Pois o consumo- e, antecipando-se a ele, os efeitos fetichistas das mercadorias- é que estrutura subjetivamente o modo de estar no mundo dos sujeitos.


O interessante é que elegemos estes indivíduos cujo destino foi definido pela bolsa de valores, como representantes de nossa liberdade perdida, de nossas dimensões espírituais achatadas, de nossa aura apagada.

O que brilha neles, secretamente, seria o trabalho capaz de produzir o excedente que a multinacional ofereceu para comprar sua imagem.


Esses ídolos populares se vêem, diariamente, alienados aos produtos do seu trabalho, mais ainda...já que a imagem, cujo controle lhes escapa a cada dia, sustenta a ilusão de representar uma verdade a respeito de seu próprio ser. São ao mesmo tempo, o fetiche, o fetichista, o ilusionário e o iludido(a).

Nenhum comentário

Contact

Instagram

Postagem em destaque

Como criar o hábito de guardar dinheiro?